Follow by Email

Páginas

terça-feira, 30 de abril de 2013

Beatificação de Nhá Chica: entrevista com Cardeal Amato

Cardeal Amato: "Nhá Chica, lição autêntica de vida cristã"


Venerável Nhá Chica que, no no dia 4 próximo, será beatificada

       Na beatificação da Venerável Nhá Chica, dia 4 de maio próximo, em Baependi (MG), estarão presentes o Prefeito da Congregação das Causas dos Santos, Cardeal Angelo Amato, representante do Papa, e o Presidente da CNBB, Cardeal Dom Raymundo Damasceno Assis.
       Entrevistado pela Rádio Vaticano, o cardeal fala sobre a futura beata.

Cardeal Amato: "É um grande presente que o Papa Francisco faz à Igreja no Brasil. O Santo Padre, primeiro papa latino-americano, conhece bem a bondade do povo brasileiro, seu espírito religioso, o amor por Jesus e seu Evangelho de vida e alegria, a devoção à Virgem Maria, o apego filial à Igreja, o amor pelo Papa, bispos e sacerdotes, o respeito pelos idosos, a disponibilidade de acolher a vida como um dom inestimável de Deus, a caridade para com os pobres, o seu senso de igualdade e fraternidade, e o respeito pela natureza. Esta riqueza de valores humanos e espirituais faz do Brasil uma terra abençoada por Deus e uma moradia digna de toda pessoa humana. Nhá Chica viveu plenamente estes valores, deixando-os como herança para todos os brasileiros, mas também para toda a Igreja."

Em que época viveu a nova beata?
Cardeal Amato: "Francisca de Paula de Jesus, familiarmente conhecida como Nhá Chica, nasceu em 26 de abril de 1810, na cidade de Santo Antônio do Rios das Mortes, distrito de São João Del Rey (MG). Era filha da escrava Izabel Maria, solteira. Tinha um irmão, Teotônio Pereira do Amaral, que se tornou muito rico. A futura beata herdou dele a herança que foi distribuída como esmola para os pobres e utilizada na construção de uma capela para a Imaculada. Decidida a não se casar, Nhá Chica preferiu levar uma vida dedicada à caridade e oração, como sua mãe tinha lhe aconselhado antes de morrer. Não entrou no mosteiro, mas optou por fazer parte das mulheres beatas, que consagravam a vida ao Senhor, permanecendo em suas casas e fazendo a caridade aos necessitados. Morreu em 14 de junho de 1895 com fama de santidade."

O senhor pode traçar o perfil desta futura beata leiga brasileira?
Cardeal Amato: "Nós entrega o Papa Francisco, que em sua carta de beatificação disse que Nhá Chica era uma mulher de oração assídua e uma fiel testemunha da misericórdia de Cristo para com os necessitados no corpo e no espírito. Por unanimidade as testemunhas afirmam que Nhá Chica rezava muito e tinha sempre o rosário na mão. Incansável adoradora do Santíssimo Sacramento e contempladora da Paixão de Jesus, tinha uma profunda devoção a Nossa Senhora, que chamava de Minha Sinhá. A Salve Rainha era a sua oração preferida. A nossa futura beata era humilde. Não atribuía nada à sua pessoa, mas tudo a Deus e a Nossa Senhora. Ela colocava os pedidos dos fiéis diante da Virgem Maria. Quando uma pessoa voltava para agradecê-la por uma graça alcançada, ela dizia: 'Eu peço a Nossa Senhora, que me escuta e me responde'. A fama de santidade de Nhá Chica sempre foi consistente e persistente. Ela era chamada a Santinha de Baependi. A sua beatificação é uma lição autêntica de vida cristã.



JMJ Rio2013: acessibilidade

JMJ Rio2013 se prepara para acolhida dos peregrinos com deficiência





       A menos de três meses da JMJ Rio2013, mais de 200 voluntários foram convocados para um dia de formação especial: eles foram selecionados para cuidar dos peregrinos com deficiência durante o evento. O treinamento, o primeiro dentre vários até a semana da Jornada, envolve voluntários diocesanos, ou seja, da Arquidiocese do Rio de Janeiro.
       A organização dividiu em quatro grandes grupos a atenção às pessoas com deficiência: cegos, surdos, cadeirantes e pessoas com paralisia cerebral e pessoas com deficiência intelectual. A cada uma delas é garantida a atenção às diferentes realidades de deficiência. Vale ressaltar que os voluntários não serão acompanhantes, mas auxiliarão pontualmente nas necessidades específicas.
       Na formação, os voluntários vão conhecer as definições de conceitos de cada uma dessas áreas. Na oportunidade estarão presentes vários grupos e organizações que trabalham com pessoas com deficiência, como o Grupo FCD (Fraternidade Cristã de pessoas com Deficiência), movimento ecumênico formado por cadeirantes; o Movimento Fé e Luz, grupo católico que acolhe pessoas com deficiência intelectual; e da Arquidiocese do Rio de Janeiro, participarão a Pastoral dos Surdos e a Catequese Especial, que trabalha com crianças e jovens autistas.
       Os detalhes sobre as atenções a cada grupo serão passados pelas próprias pessoas com deficiência, com a participação de 40 surdos, 10 cadeirantes e uma pessoa cega com seu cão guia. Segundo César Bacchim, responsável pelas medidas de acessibilidade e comunicação às pessoas com deficiência na JMJ Rio2013, a interação e convivência entre os voluntários e as pessoas com deficiência no treinamento já faz parte da formação, fazendo com que os jovens tenham mais contato com as diversas realidades que encontrarão em julho, durante a Jornada.
       A formação vai acontecer neste sábado, dia 27, das 9h às 13h (horário de Brasília), no Auditório do Edifício João Paulo II, que fica na rua Benjamin Constant, 23, 2º andar, na Glória, no Rio de Janeiro (RJ). Mais informações pelo telefone 2292-3132, ramal 250.
 

Como será a participação do peregrino com deficiência na JMJ Rio2013?
       O peregrino com deficiência precisa deixar claro que deseja uma hospedagem diferenciada e a natureza específica de sua necessidade deve ser indicada durante o processo de inscrição. A organização do evento entende que os grupos daqueles que não optam por essa opção vão prover o que é necessidade de um cadeirante, por exemplo, durante a JMJ.
       A equipe de organização ainda está elaborando medidas mais específicas de acessibilidade e comunicação. Algumas medidas são comuns a todos os peregrinos com deficiência. Entre elas:

> Cada peregrino terá sinalizado em seu crachá a cor e o símbolo internacional relacionado a sua deficiência para identificação, conforme já utilizado na ONU, nos órgãos governamentais e na Igreja.

> Todas as pessoas com deficiências serão tratadas como peregrinos e serão alocados conforme o idioma do país de origem.

> No Festival da Juventude, as apresentações que contam com serviços de interpretação e acessibilidade aos peregrinos com deficiência serão indicadas em panfletos da programação, com os símbolos internacionais.

> A hospedagem é oferecida para o peregrino com deficiência e seu acompanhante e, nestes casos, a JMJ oferece transporte diferenciado para o peregrino participar dos Atos Centrais. No caso da Vigília.

> As pessoas com deficiência terão um espaço garantido próximo ao palco dos Atos Centrais e nas Catequeses. Desde que elas estejam com suas credenciais, terão acesso a esse espaço, pois quanto mais próximo ao Santo Padre, maior a segurança. As pessoas com deficiência não serão obrigadas a ficarem nesse espaço especial. Se desejar participar dos Atos Centrais em outros setores do Campus Fidei (Guaratiba) ou fora do local especial na Praia de Copacabana, poderá fazê-lo. Somente os peregrinos com cadeirantes e com alguma deficiência de locomoção serão transportados em veículos adaptados até Guaratiba, para participar da Vigília (no sábado, dia 27) no Campus Fidei.  Quem optar por participar destes Atos Centrais deverão permanecer a noite toda no local até o final da Missa de Envio, no domingo, quando veículos adaptados voltam para buscar os peregrinos desse grupo.Os demais participarão com outros inscritos na peregrinação até o local e a volta.

       Algumas medidas já estão sendo tomadas em cada peregrino dos grupos para garantir a participação. Entre elas:

> Cadeirantes e pessoas com paralisia cerebral: em todos os Atos Centrais haverá acessibilidade para cadeiras de rodas em locais próximos ao palco, ponto fundamental para a participação na praia de Copacabana, por exemplo. Banheiros e rampas aos cadeirantes estarão disponibilizados nos principais locais da JMJ Rio2013, como nos Atos Centrais, Catequeses, Feira Vocacional e Festival da Juventude.

> Surdos: nos Atos Centrais, haverá intérpretes de LIBRAS (linguagem brasileira de sinais) nos telões que retransmitem as atividades do palco. Os peregrinos com deficiência auditiva de outros países não terão catequese diferenciada, já que é comum eles viajarem com intérpretes para fazer a tradução do que for dito.

> Cegos: a versão resumida da programação da JMJ Rio2013 e informações gerais serão traduzidas em grafia Braille (sistema de leitura com o tato para cegos) para a Língua Portuguesa e entregue ao peregrino com essa deficiência.

> Pessoas com deficiência intelectual: o maior cuidado é que seja garantido o espaço especial próximos do palco dos Atos Centrais. A necessidade de um acompanhante nesse caso se torna indispensável para a participação do peregrino.

       Para mais informações sobre as questões de acessibilidade e comunicação, envie um e-mail para disability@rio2013.com.


JMJ Rio2013: segurança pra Jornada

Segurança é prioridade para a JMJ Rio2013




       Com a eleição do Papa Francisco, a expectativa é de que milhares de jovens, além dos 2 milhões anteriormente previstos, venham para a Jornada Mundial da Juventude no Rio de Janeiro em julho. Para isso, o planejamento da segurança e do policiamento da cidade tem sido uma das prioridades dos ministérios da Justiça e da Defesa, aos quais cabe a coordenação da segurança do evento.
       Um dos principais pontos turísticos do Rio, o Corcovado já foi utilizado, no início deste mês, para o treinamento de 70 policiais militares do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), do Batalhão de Ações com Cães (BAC) e do Grupamento Aeromóvel (GAM), além de 12 carros da polícia e uma aeronave. O treinamento contou com cinco etapas: abordagem de aeronave, retomada do trem do Corcovado, socorro de vítimas, posicionamento de atiradores de precisão e demonstração de equipamentos. “Através da Unidade de Intervenções Táticas, identificamos alguns pontos sensíveis no Corcovado e como as ações deverão ser realizadas em possíveis momentos de perigo. Com esse treinamento, o objetivo foi alcançado e estamos preparados para esse eventos”, disse o relações públicas do Bope, major Ivan Blaz.
       No mês de março, 76 policiais civis e militares, além de homens da Guarda Municipal, participaram de um curso de Controle de Massa no Batalhão de Choque, no Estácio, na zona central da cidade, com agentes europeus. Segundo a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Estado de Segurança, trata-se de um curso para Controle de Distúrbios Civis que integra um pacote de cursos fechados entre a Subsecretaria de Educação, Valorização e Prevenção (SSEVP), da Secretaria de Segurança, com a Embaixada da Espanha.
       O objetivo é a preparação de policiais civis e militares para os grandes eventos e já foram oferecidos, também, cursos de Patrulhamento Turístico. Além disso, outros acordos foram feitos para a realização de cursos como “Policiamento de Massas”, “Análise de Risco”, “Antiterrorismo e Contraterrorismo”, “Identificação de Áreas Vulneráveis”, “Sistema de Comandos de Incidentes” e “Ameaças Externas”.
       Ainda de acordo com a assessoria, a previsão é de que 4.520 profissionais, entre policiais militares e civis e agentes convidados de outras instituições, sejam capacitados nos cursos de segurança este ano. Além deles, as aulas contam com a participação de policiais federais, guardas municipais e bombeiros.
       “A segurança de um grande evento como a Jornada Mundial da Juventude envolve as três esferas governamentais (União, Estado e Município), de forma que as definições de ordem estratégica, bem como, a coordenação das ações de segurança e defesa recaem sobre o Governo Federal, através dos Ministérios da Justiça e da Defesa. E cabe ressaltar, em relação à JMJ, a realização de proveitosos intercâmbios com as polícias espanhola, italiana e do próprio Vaticano, a implementação do Regime Adicional de Serviço (RAS) para os policiais estaduais, como forma de ampla captação de efetivo, além de efetiva participação em todo o processo de planejamento e preparação levado a efeito pelos Governos Federal e Municipal, sem esquecer, o estreito contato com o Comitê Organizador da JMJ”, afirmou o Subsecretário de Grandes Eventos, Roberto Alzir.
       Para Wiktoria Katarzyna, de Gdynia, na Polônia, a troca de experiências entre policiais é válida. “Os policiais poloneses, por exemplo, estão sempre em contato com outros policiais europeus, em constante cooperação, isso é muito bom”, disse a jovem de 21 anos que está no Rio de Janeiro há dois meses. Morando na Tijuca, Wiktoria afirmou que a visão que ela tinha da cidade antes de vir mudou completamente. “É verdade que você tem que ser cuidadoso, mas é como em qualquer outra cidade”, declarou.
       Questionado sobre o que espera para a semana da JMJ Rio2013, James Kelliher, de Londres, na Inglaterra, disse que gostaria de ver o mesmo clima festivo da época do carnaval, mas tudo bem controlado pela Polícia. “Sei que vai dar tudo certo e que todos aproveitarão a jornada”, falou o voluntário de 27 anos, que chegou há um mês na cidade.


Entenda como será a atuação de cada órgão de segurança durante a JMJ Rio2013
       Os números de agentes que atuarão na segurança e no policiamento da JMJ Rio2013 ainda não estão finalizados no âmbito das três esferas governamentais. No entanto, o Governo Federal vem investindo recursos financeiros e humanos na segurança do Rio de Janeiro e encara a JMJ como prioridade.
       Para isso, foi criada a Secretaria Extraordinária de Segurança para Grandes Eventos (Sesge) do Ministério da Justiça, de modo a firmar a preocupação do Governo Federal com o compromisso em fazer o planejamento e os esforços de segurança de eventos como a Jornada Mundial da Juventude. Dessa forma, todas as forças policiais serão envolvidas de acordo com um protocolo de atividades, um manual que não permite improviso durante o evento, e protocolos de reação. Trata-se de um passo a passo bem detalhado, com mais de 50 mil ações descritas. De acordo com a Sesge, o objetivo é de que essa prática de planejamento minucioso fique como um legado para a área de segurança do Brasil.

> Polícia Federal:
Caberá à Polícia Federal a segurança pessoal do Papa Francisco, por se tratar de um chefe de Estado. A segurança do Santo Padre, na verdade, não contará apenas com os policiais federais, mas será organizada como em uma série de círculos concêntricos: um esforço de segurança composto por atiradores, helicópteros e áreas de inteligência, isto é, policiais destacados para a proteção da célula central, que envolve tanto a Polícia Federal como o Papa Francisco.

> Polícia Rodoviária Federal:
As escoltas dos deslocamentos do papa ficarão sob a responsabilidade da Polícia Rodoviária Federal. Nos últimos 40 anos, em todas as visitas de papas foi a Polícia Rodoviária Federal que se encarregou da segurança dos deslocamentos, por isso o Governo Federal optou por manter a estrutura.

> Polícia Militar:
O controle de abertura e fechamento de vias, segurança de pontos turísticos, passagem de grupos, tudo isso será responsabilidade da Polícia Militar. Ou seja, cabe ao órgão a estruturação do policiamento urbano, contando sempre com reforço de efetivo.

> Força Nacional de Segurança:
O apoio da Força Nacional de Segurança servirá como força de contingência, sendo acionada somente quando necessário.

> Polícia Civil:
A Polícia Civil não terá papel operacional. Devido ao grande aumento no número de turistas na cidade, caberá aos policiais civis dimensionar os eventos, ajudando no atendimento de dúvidas e controlando o fluxo de pessoas em cada momento.

> Exército:
O Ministério da Defesa não colocará tropas nas ruas, com carros blindados, policiais de capacete e fuzil à mostra. A atuação do Exército, assim como da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), será em defesa da soberania e do interesse nacional, cuidando de instalações estratégicas. Os agentes só se farão notar quando necessário, de modo que sua presença não será ostensiva. Assim, caberá aos homens da Defesa intervir no combate à guerra cibernética e na contrarresposta ao terrorismo.

> Guarda Municipal:
Haverá dez módulos operacionais com prioridade para pontos turísticos e patrulhamento constante nos acessos ao metrô e estações de trem. Ainda, serão mais de 200 agentes divididos por esses módulos, com aumento da ronda escolar para zelo das escolas municipais (625 escolas), e para os eventos serão aproximadamente 1300 agentes com prioridade para Copacabana.

       Por fim, caberá aos órgãos de segurança do cotidiano carioca a transmissão de informações com antecedência para que toda a população esteja preparada para a realização da JMJ. Esta é a oportunidade do Rio de Janeiro mostrar competência ao sediar um grande evento e serve também para passar mensagens que reflitam o orgulho dos habitantes em acolher grandes eventos mundiais e a cooperação da sociedade.


Papa Francisco: oração do Santo Rosário

Papa preside oração do Santo Rosário na Basílica de Santa Maria Maior





       O Papa Francisco preside neste sábado, dia 4, a oração do Santo Rosário na Basílica Papal de Santa Maria Maior, no Vaticano, às 18h (horário local). A informação foi divulgada pelo boletim da Santa Sé nesta terça-feira, dia 30.
       A Santa Sé também informou que Francisco celebrará a Santa Missa pelos Membros das Confrarias de todo o mundo, reunidos em Roma, por ocasião do Ano da Fé. A celebração será no domingo, dia 5, às 10h (horário em Roma) na Basílica Vaticana.



Papa Francisco: encontro com Shimon Peres

Papa recebe em audiência o presidente de Israel


Papa Francisco e Shimon Peres, Presidente de Israel, em audiência privada


       Na manhã desta terça-feira, dia 30, o Papa Francisco recebeu em audiência privada o presidente de Israel, Shimon Peres. Decisões corajosas e disponibilidade de ambas as partes para levar o conflito israelense-palestino para o caminho da paz e um convite dirigido ao Papa Francisco para visitar a Terra Santa foram alguns pontos principais durante o encontro.
       Um comunicado oficial emitido pela Santa Sé informou que o encontro abordou a questão da situação sócio-política do Oriente Médio. Quanto a isso, desejou-se uma rápida retomada das negociações entre israelenses e palestinos a fim de que, com o apoio da comunidade internacional, se possa alcançar um acordo respeitoso das legítimas aspirações dos dois povos e assim contribuir com a paz e a estabilidade da Região.
       Durante a reunião, Francisco e Peres também falaram da Cidade de Jerusalém, manifestando particular preocupação pelo conflito que atinge a Síria. Foi expresso o desejo de uma solução política que privilegie a lógica da reconciliação e do diálogo.
       Além disso, foram tratadas questões referentes às relações entre o Estado de Israel e a Santa Sé e entre as Autoridades estatais e a comunidade católica local. Foram apreciados os progressos significativos da Comissão bilateral de trabalho, empenhada na elaboração de um acordo sobre questões de interesse comum, para o qual se espera uma rápida conclusão.
       Após o encontro com o Papa, Peres, reuniu-se com o secretário de Estado, Cardeal Tarcísio Bertone, e com o secretário para as Relações com os Estados, o arcebispo Dominique Mamberti. Nesta quarta-feira, dia 1º, o presidente de Israel visita a cidade de São Francisco, Assis, onde deve receber o título de cidadão honorário da cidade de Assis. A cerimônia será no salão do Sacro Convento às 10h15min (horário local).



Papa Francisco: oração pela Igreja

Em homilia, Papa exorta fiéis a rezarem pela Igreja


"Confiar a Igreja ao Senhor é uma oração que a faz crescer.
É também um ato de fé", disse Papa Francisco


       Papa Francisco celebrou a Missa na Casa Santa Marta na manhã desta terça-feira, dia 30, e colocou no centro de suas reflexões a Igreja. O Santo Padre exortou todos os fiéis a rezarem por ela, a confiarem-na ao Senhor, pois isso é um ato de fé que a faz crescer.
       Francisco destacou o ato de entrega da Igreja ao Senhor, exortando todos à oração. “Nós rezamos pela Igreja, mas por toda a Igreja? Pelos nossos irmãos que não conhecemos em todo o mundo? É a Igreja do Senhor e nós, na nossa oração, dizemos ao Senhor: Senhor, protege a tua Igreja… Ela é Tua. A tua Igreja são os nossos irmãos. Esta é uma oração que nós devemos fazer do coração, sempre mais “.
       O Papa lembrou que é fácil rezar para pedir uma graça ao Senhor ou para agradecer-Lhe, mas é fundamental rezar por todos. “Confiar a Igreja ao Senhor é uma oração que a faz crescer. É também um ato de fé. Nós não temos poder, somos pobres servidores – todos – da Igreja. Ele pode levá-la adiante, protegê-la e fazê-la crescer, defendê-la de quem quer que a Igreja se torne mundana. Este é o maior perigo!”.
       Quando a Igreja se torna mundana, quando tem dentro de si aquela paz que não é a do Senhor, o Papa explicou que ela enfraquece, é uma Igreja que será derrotada e incapaz de levar o Evangelho. Por isso, Francisco enfatizou a importância de entregar-se ao Senhor e confiar a Ele a Sua Igreja, os idosos, os doentes, as crianças, os jovens.
       “Fazer esta oração de entrega pela Igreja – concluiu o Papa– nos fará bem e fará bem à Igreja. Dará grande paz a nós e grande paz a Ela, não nos tirará das tribulações, mas nos fará fortes nas tribulações”.


Fonte:

Bento XVI: retorno ao Vaticano

Bento XVI volta para o Vaticano nesta quinta-feira




       Nesta quinta-feira, dia 2, o Papa Emérito Bento XVI voltará para o Vaticano, onde habitará, como anunciado, no mosteiro Mater Ecclesiae.
       O retorno de Bento XVI será de helicóptero por volta de 16h30-17h (horário local, 21h30-22h em Brasília). Ele partirá da residência pontifícia de Castel Gandolfo, onde tem residido nos últimos dois meses.
       A notícia foi confirmada aos meios de comunicação pelo diretor da Salta de Imprensa da Santa Sé, padre Federico Lombardi. Respondendo aos jornalistas que queriam saber sobre a saúde de Bento XVI, o porta-voz vaticano afirmou: "É um homem ancião, debilitado pela idade, mas não tem nenhuma doença".
       Bento XVI anunciou sua renúncia como Bispo de Roma em 11 de fevereiro de 2013 e renunciou oficialmente no dia 28 de fevereiro do mesmo ano. Após dois dias de Conclave, os Cardeais votantes elegeram o novo Papa, Cardeal Jorge Mario Bergoglio, o Papa Francisco.


Beatificação de Nhá Chica

Nhá Chica será beatificada neste sábado





       No próximo sábado, dia 4, às 15 horas (horário de Brasília), o Prefeito da Congregação para a Causa dos Santos e Delegado do Papa Francisco, Cardeal Ângelo Amato, presidirá a Missa de Beatificação de Nhá Chica. A celebração acontecerá no Santuário Nossa Senhora da Conceição, em Baependi (MG). A TV Canção Nova transmitirá ao vivo a Celebração Eucarística.
       O pedido de Beatificação de Nhá Chica foi aceito pela Igreja após apresentação de um milagre por intercessão da Beata. A cura que concedeu o reconhecimento dos altares aconteceu no coração de Ana Lúcia, uma senhora que reside na cidade Baependi. Nhá Chica viveu nesta mesma cidade, localizada no interior de Minas Gerais, no século dezenove.


Intenções para o mês de maio

Em maio, Papa reza pelos agentes de justiça e seminários





       Neste mês de maio, a intenção geral de oração do Papa Francisco é pelos agentes da justiça, para que “atuem sempre com integridade e reta consciência”.
       Já a intenção missionária refere-se aos seminários. “Que os Seminários, especialmente os que se encontram em Igrejas de missão, formem pastores segundo o Coração de Cristo, dedicados por inteiro ao anúncio do Evangelho”.
       O Apostolado de Oração recebe todos os anos as intenções mensais de oração do Papa, que são divulgadas a todos os fiéis para que os católicos do mundo inteiro possam se unir em oração ao Santo Padre.


segunda-feira, 29 de abril de 2013

Papa Francisco: reconhecendo os próprios pecados

"A confissão é um encontro com Jesus", destaca Papa em homilia




       Vergonhar-se dos próprios pecados é a virtude do humilde que se prepara para acolher o perdão de Deus. Esta foi a reflexão que perpassou toda a homilia do Papa Francisco na manhã desta segunda-feira, dia 29, na Capela da Casa Santa Marta. A Missa teve a participação de funcionários da Administração do Patrimônio da Sé Apostólica e de algumas religiosas.
       Comentando a primeira Carta de São João, em que se diz que “Deus é luz e Nele não há trevas”, o Papa destacou que todos têm momentos de obscuridades na vida, mas isso não significa caminhar nas trevas.
       “Caminhar nas trevas significa estar satisfeito de si mesmo; estar convencido de que não precisa de salvação. Essas são as trevas! Olhem seus pecados, os nossos pecados: todos somos pecadores, todos… Este é o ponto de partida. Se confessamos nossos pecados, Ele é fiel, é justo a ponto de nos perdoar”, disse.
       O Pontífice explicou que isso é o que acontece no Sacramento da Reconciliação. Ele acrescentou que confessar não é como ir à tinturaria para limpar a sujeira das roupas. “O confessionário não é uma tinturaria: é um encontro com Jesus que nos espera, que nos espera como somos. Temos vergonha de dizer a verdade, ‘fiz isso, pensei aquilo’, mas a vergonha é uma virtude verdadeiramente cristã e também humana… a capacidade de vergonhar-se é uma virtude do humilde.
       E Jesus está sempre esperando para conceder o perdão, lembrou Francisco. Ele disse que confessar não é como ir a uma ‘sessão de tortura’, mas é louvar a Deus, porque foi salvo por Ele. “E ele me espera para me repreender? Não, com ternura para me perdoar. E se amanhã fizer a mesma? Confesse-se mais uma vez… Ele sempre nos espera”.
       Francisco completou dizendo que a humildade e a docilidade também são virtudes que Jesus pede ao ser humano. O Santo Padre falou dessas virtudes como uma moldura da vida cristã: um cristão vive sempre assim, na humildade e na docilidade.
       O Santo Padre concluiu a homilia pedindo que Deus dê ao ser humano esta graça, esta coragem de procurá-Lo sempre com a verdade e não com as trevas das meias-verdades ou das mentiras diante de Deus.



Papa Francisco: viver no Espírito Santo

"Maria ensina o que é viver no Espírito Santo", lembra Papa no Regina Coeli




       Ao término da Santa Missa na qual crismou 44 pessoas neste domingo, dia 28, Papa Francisco rezou a oração mariana do Regina Coeli. Aos fiéis reunidos na Praça São Pedro, o Santo Padre lembrou que a Virgem Maria ensina o que significa viver no Espírito Santo e acolher a novidade de Deus na vida.

Acesse

       Recordando que Maria invocou o Espírito aos Apóstolos no Cenáculo, Francisco explicou que cada vez que os fiéis se reúnem em oração, são apoiados pela presença espiritual da Mãe de Jesus para receber o dom do Espírito e ter a força de testemunhar Jesus ressuscitado.
       “Isso o digo de modo particular a vocês, que hoje receberam a Crisma: Maria ajude-vos a estarem atentos àquilo que o Senhor vos pede, e a viver e caminhar sempre segundo o Espírito Santo!”, disse.
       O Santo Padre saudou afetuosamente todos os peregrinos presentes e dirigiu uma oração especial pelas vítimas do desabamento de uma fábrica em Bangladesh. “Exprimo a minha solidariedade e profunda proximidade às famílias que estão de luto pelos seus entes queridos e dirijo do fundo do coração um forte apelo, a fim de que seja sempre protegida a dignidade e a segurança do trabalhador”.



Papa Francisco: Missa com crismandos

Papa destaca a força do Espírito Santo para vencer tribulações da vida


Vista parcial da Praça de São Pedro neste domingo, dia 28,
durante a Celebração Eucarística presidida pelo Papa

       Neste 5º Domingo de Páscoa, dia 28, o Papa Francisco celebrou a Santa Missa pelos Crismandos e Crismados de todo o mundo. Em sua homilia, Francisco apresentou três reflexões: a novidade que Deus dá ao ser humano, as tribulações presentes no caminho da vida e a fé para permanecer firme no Senhor.
       O Santo Padre destacou que a novidade de Deus é ação do Espírito Santo, que faz novas todas as coisas. Tal novidade, segundo o Papa, não é como as inovações do mundo, que são provisórias, mas permanece.

Acesse

       “A novidade que Deus dá à nossa vida é definitiva; e não apenas no futuro quando estivermos com Ele, mas já hoje: Deus está a fazer novas todas as coisas, o Espírito Santo transforma-nos verdadeiramente e, através de nós, quer transformar também o mundo onde vivemos”.
       Entrando na segunda reflexão que propôs, Francisco lembrou que o caminho da Igreja e o caminho pessoal nem sempre são fáceis, mas as dificuldades e tribulações fazem parte da estrada para chegar à glória de Deus. “Não desanimeis! Para vencer estas tribulações, temos a força do Espírito Santo”.
       E junto à força do Espírito Santo, o Papa falou do caminho da fé. Ele convidou todos, especialmente os crismandos e crismandas, a permanecerem firmes nesse caminho, com segura esperança no Senhor. “Não há dificuldades, tribulações, incompreensões que possam meter-nos medo, se permanecermos unidos a Deus como os ramos estão unidos à videira, se não perdermos a amizade com Ele, se lhe dermos cada vez mais espaço na nossa vida”.
       Na celebração, Papa Francisco administrou o Sacramento da Confirmação a 44 pessoas, dos cinco continentes, presentes na peregrinação em Roma por ocasião do Ano da Fé. Ao final da Missa, dois jovens dirigiram saudações e agradecimentos ao Santo Padre.



Papa Francisco: visita do premiê italiano

Papa recebe premiê italiano Monti




       Papa Francisco recebeu no fim da tarde de sexta-feira, dia 26, o primeiro-ministro da Itália, Mario Monti, em uma visita de despedida como chefe do Governo italiano. O Diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé informou que o encontro foi na Casa Santa Marta, onde o Pontífice continua morando, durou “cerca de vinte minutos e foi muito cordial” e os principais tópicos tratados foram a situação da Itália, a integração européia e as migrações.
       Segundo nota de Padre Federico Lombardi, Monti teria lembrado ao Pontífice que “seu pai nasceu na Argentina em 1900, na cidade de Lujan (conhecida pela presença do mais famoso Santuário mariano do país), de uma família italiana emigrada”.
       O primeiro-ministro italiano ofereceu como presente ao Papa um trio de canetas (verde, branca e vermelha, as cores da bandeira italiana), idêntico ao que havia já doado ao Papa Bento XVI durante sua última visita, além de um livro sobre as catedrais da Europa e um livro (autografado) sobre a democracia na Europa, escrito pelo próprio Monti com a deputada do parlamento europeu, Sylvie Goulard. Francisco, por sua vez, doou ao premiê italiano um livro com os primeiros discursos do Pontificado, conjunto de moedas do Vaticano e um terço.
       Esta foi a segunda vez que Monti encontrou o Pontífice. A primeira ocasião foi no dia 19 de março, logo após a missa de inauguração do novo pontificado, quando o Papa recebeu as delegações dos chefes de Estado e de Governo que presenciaram a cerimônia.


Fonte:

Solidariedade às vítimas de Bangladesh

No Twitter, Papa Francisco pede oração pelas vítimas do desabamento em Daca





       Papa Francisco publicou um novo ‘tuíte’ na manhã do último sábado, dia 27, em solidariedade com as vítimas do desabamento de um edifício na capital de Bangladesh: “Reze comigo pelas vítimas da tragédia em Daca; para que Deus conceda consolo e força a suas famílias”.
       Entretanto, quatro pessoas foram detidas no país por suposto envolvimento com o desabamento que até agora causou 328 mortes. O edifício abrigava várias fábricas têxteis, e segundo a Polícia Industrial, os proprietários ignoraram as rachaduras que apareceram no edifício de oito andares na terça-feira, dia 23, e obrigaram os funcionários a seguirem trabalhando normalmente, apesar do risco que corriam.
       Os detidos são dois donos de oficinas têxteis e dois funcionários municipais que asseguraram, um dia antes do acidente, que o imóvel era seguro, informaram fontes policiais ao jornal local “The Daily Star”.



Abertura ao Espírito Santo

"Nossas comunidades devem ser abertas ao Espírito", destacou Papa Francisco





       Na homilia proferida na manhã desse sábado, dia 27, na celebração presidida na capela da Casa Santa Marta, sua residência, o Papa Francisco refletiu e questionou sobre “como são as nossas comunidades”.
       “Nossas comunidades religiosas e paroquiais são abertas ao Espírito Santo, que nos incentiva a difundir a Palavra de Deus, ou são comunidades fechadas, com mandamentos específicos que pesam sobre os fiéis, como o Senhor disse aos fariseus?”.
       O Papa recordou o comportamento dos fariseus, que recorrem sempre à calúnia e às fofocas, segundo eles, “para defender a verdade”. “O verdadeiro bem, no entanto, não é a calúnia ou a injúria, menos ainda pactuar com o poder”, afirmou, completando que “a comunidade fechada, segura de si mesma, que procura a segurança comprometendo-se com o poder e com o dinheiro, usa palavras ofensivas, insulta e condena”.
       Citando os Atos dos Apóstolos, Papa Francisco exortou os cristãos de hoje a não imitarem a “comunidade dos judeus fechados, um grupinho de pessoas ‘boas’ que ficaram ciumentas ao ver a multidão de cristãos e começaram simplesmente a lhes perseguir. “Era porque seus corações estavam fechados, não abertos à novidade do Espírito Santo”, explicou. “Talvez se esqueceram dos carinhos de suas mães, de quando eram pequenos. Estas comunidades são feitas de deveres, de obrigações, de disciplina aparente”.
       Naquele episódio da comunidade dos discípulos reunidos em Antioquia para ouvir a Palavra do Senhor, Francisco identificou “um critério de Igreja válido para nosso exame de consciência”.