Follow by Email

Páginas

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Luto: Falecimento do Cardeal Mazombwe

Morre cardeal arcebispo emérito da capital de Zâmbia



       Morreu na tarde desta quinta-feira, dia 29, às 17h40min (horário local), no University Teaching Hospital (UTH) de Lusaka, o Cardeal Medardo Joseph Mazombwe, arcebispo emérito da capital de Zâmbia. Um comunicado oficial foi feito pelo porta-voz da Conferência Episcopal Zambiana, Padre Paul Samasumo. O Cardeal Mazombwe, que faria 82 anos em 24 de setembro, único no Colégio Cardinalício em Zâmbia, era membro da Congregação pela Evangelização dos Povos e do Pontifício Conselho Cor Unum.
       Após sua morte, o Colégio Cardinalício conta agora com um total de 201 cardeais – entre os quais 112 eleitores e 89 não-eleitores. Toda missão de Mazombwe era ligada ao crescimento e às raízes da Igreja na sua terra de origem, além da batalha pela anulação das dívidas internacionais dos países pobres.
       A partir de iniciativa própria, o cardeal desempenhou um papel importante na evangelização da região leste de seu país, com uma forte ênfase na catequese. Foi ordenado sacerdote em setembro de 1960 e, a partir de 1996, foi Arcebispo de Lusaka por dez anos.
       Ao saber da notícia, o Papa Francisco enviou um telegrama ao Reverendo Telesphore George Mpundu, arcebispo de Lusaka. Na mensagem, ele expressa pesar pelo falecimento e assegura sua proximidade na oração.


Fonte: Canção Nova Notícias
Capa CN Notícias

JMJ Krakóv2016: Início dos preparativos

Bispos poloneses começam preparativos para a JMJ



       O episcopado polonês propõe que o encerramento da próxima Jornada Mundial da Juventude (JMJ) em Cracóvia seja na segunda quinzena de julho de 2016. A sugestão consta no comunicado final do encontro dos bispos em Czestochowa.
       O Comitê responsável pela visita do Papa à Polônia, que será inaugurado em setembro, será presidido pelo arcebispo de Cracóvia, Cardeal Stanislaw Dziwisz. A estimativa é que mais de dois milhões de jovens participem do evento.
       “A Igreja polonesa precisa muito de um impulso novo e de um novo ‘toque’ do Espírito Santo”, disse o arcebispo de Lublin, Dom Stanislaw Budzik, assegurando que “os bispos aceitam com prazer todas as dificuldades ligadas à organização da JMJ na Polônia, pois elas também são uma oportunidade pastoral excepcional”.
       A Jornada de Cracóvia coincidirá com o 25º aniversário do encontro dos jovens com João Paulo II em Czestochowa, e as celebrações de 1050 anos da cristianização da Polônia. No comunicado, os bispos relevam ainda que as canonizações de João XXIII e João Paulo II, previstas para 2014, possibilitarão uma preparação espiritual mais profunda e encorajam desde já as iniciativas de paróquias e comunidades eclesiais.


Fonte: Canção Nova Notícias
Capa CN Notícias

JMJ Rio2013: Cobertura das TVs católicas

TVs católicas se reúnem para avaliar cobertura da JMJ


Representantes das TVs católicas reunidos em São Paulo-SP

       Representantes das Tvs católicas do país se reuniram nesta quarta-feira, dia 28 , para avaliar os últimos trabalhos realizados e traçar novos projetos. Entre os principais assuntos, esteve a cobertura da Jornada Mundial da Juventude, no Rio de Janeiro-RJ. As emissoras católicas participaram do “pool de transmissões”,  o que possibilitou uma cobertura completa da visita do Papa ao Brasil.
       A presidente da Signis Brasil, Ir. Helena Corazza, destacou que a experiência das transmissões da JMJ Rio2013 foi um momento de crescimento e de afirmação de todos. “Também temos questões para estudar em relação à radiodifusão e os meios católicos (...). Os representantes das TVs católicas já estão vislumbrando projetos conjuntos”.
       Para o diretor artístico da TV Canção Nova, Gilberto Maia, o trabalho conjunto realizado pelas emissoras durante a JMJ mostrou unidade e profissionalismo. “Entendemos que podemos fazer muito mais, juntos. A partir de agora, além de transmissões, poderemos colaborar com programas, conteúdos diversificados” afirmou.
       Participaram do encontro, presidido pela Signis em São Paulo, representantes das TVs Canção Nova, Horizonte, Aparecida , Nazaré, Século 21,  Rede Vida, Imaculada Conceição. Representaram a CNBB o presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Comunicação, Dom Dimas Lara Barbosa, e a assessora da Comissão, Ir. Élide Fogolari.
       Dom Dimas falou sobre um Projeto de Lei que pretende pedir a “democratização” da comunicação no Brasil. “Aconteceu a I Conferência Nacional de Comunicação e, como conseqüência desta conferência, nasceu o Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação que congrega a uma série de movimentos sociais e sindicatos”. Segundo o arcebispo, este fórum discutiu  um projeto de lei de iniciativa popular, que pede  a “regulamentação de uma série de artigos da constituição no que diz respeito sobretudo à radiodifusão” destacou.
       Durante a reunião, foram abordados também o 8º Mutirão Brasileiro de Comunicação que será em Natal, de 27 de outubro a 1º de novembro, e a campanha dos Prêmios de Comunicação da CNBB de 2014.


Fonte: Canção Nova Notícias
Capa CN Notícias

"Braço da Igreja"

"Leigos devem ser o 'braço' da Igreja na sociedade", diz bispo


Dom Severino Clasen
Bispo da Diocese de Caçador-SC e
Presidente da Comissão Episcopal para o Laicato da CNBB

       A Igreja no Brasil destaca nesta semana a pessoa do leigo e seu papel no Cristianismo. Nesta perspectiva, o presidente da Comissão Episcopal para o Laicato da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Dom Severino Clasen, apontou alguns traços do perfil do leigo que evangeliza a sociedade atual.
       Para ele, o leigo deve buscar a cultura do encontro, "ter a capacidade de ouvir, ouvir e ouvir"; ser simples e não criar “estruturas pesadas”. A cultura do encontro foi um termo muito utilizado pelo Papa Francisco, especialmente, durante os dias em que esteve no Brasil. Dom Severino acredita estar aí a missão do leigo: ser um "braço" da Igreja na sociedade.
       “O acolhimento de ir ao encontro de outros grupos: esta é uma dimensão fundamental na evangelização de hoje. Nós não podemos ficar somente com os bons, aqueles que estão conosco, mas precisamos encontrar aqueles que também são bons, mas que precisam de uma 'chegadinha', de uma palavra, de um estímulo. Isso é que faz a diferença”, destacou.


Leigos na missão da Igreja
       Após o Concílio Vaticano II, a Igreja Católica abriu-se com mais largueza à participação efetiva dos fiéis leigos em sua missão. Hoje, eles são convidados a exercer trabalhos importantes nas paróquias e dioceses, como: ministério extraordinário da pregação do Evangelho, da Comunhão Eucarística, do ensino doutrinal e etc.
       Há muito espaço para os leigos, disse Dom Severino, mas eles não podem ficar esperando. "A Igreja espera que os leigos se organizem e deem sua contribuição por meio das pastorais. Essa participação faz com que eles se tornem uma Igreja viva e autêntica. É por este caminho que nós esperamos a transformação do mundo”, afirmou o bispo.
       Segundo o ele, a Igreja anseia uma resposta positiva de acolhida e comprometimento frente aos dons que ela oferece: os sacramentos, a Palavra de Deus e os “horizontes de uma vida limpa, justa e fraterna”. Sobretudo, disse Dom Severino, que os sentimentos que os leigos aprendem na Igreja sejam levados aos seus ambientes familiares, de trabalho, lazer e etc. “É importante que o leigo conserve, onde quer que esteja, o caráter de filiação de Deus e da Igreja, sem dois comportamentos”, completou.
       Outro ambiente para que o leigo exerça sua missão é a política. Dom Severino afirma que está também é uma função laical e que se não for bem feita pode produzir maus frutos. “Se a coisa está mal é porque os leigos não estão assumindo seu papel de Igreja, de transformação da sociedade, não estão dando o testemunho daquilo que é a vivência evangélica”, disse o bispo sobre o contexto político.


Leigos devem ser entusiasmados
       Dom Severino também ressaltou que, por vezes, o desânimo de alguns fiéis é resultado do pouco entusiasmo dos padres e bispos. O presidente da Comissão Episcopal para o Laicato da CNBB, recordou a necessidade de convicção e entusiasmo junto aos leigos, por parte do clero.
       “Muitas vezes os leigos desanimam porque eles não encontram esse estímulo no seu padre, na sua paróquia ou até no próprio bispo. Nós, da hierarquia da Igreja, precisamos ser estímulo constante e permanente na vida dos nossos cristãos leigos e leigas. Com certeza, os leigos envolvidos com este entusiasmo, não vão desanimar”, disse.
       Para Dom Severino, a própria evangelização deve ser também um veículo de entusiasmo para os leigos, e as paróquias precisam, cada vez mais, se estruturarem para a eficácia desta missão. “Os leigos são protagonistas da Nova Evangelização que a Igreja no Brasil está buscando”, concluiu Dom Severino.


O Documento de Aparecida e o conceito laical
       O documento que constitui o resultado da V Conferência Episcopal da América Latina e Caribe - o Documento de Aparecida - define os fiéis leigos como “homens da Igreja no coração do mundo, e homens do mundo no coração da Igreja” (cf. DA nº 209). A V Conferência tornou-se referencial da Igreja no Brasil para a ação evangelizadora e destacou especialmente o papel dos leigos neste processo.
       Segundo o documento, "para cumprir sua missão com responsabilidade pessoal, os leigos necessitam de sólida formação doutrinal, pastoral, espiritual e adequado acompanhamento para darem testemunho de Cristo e dos valores do Reino no âmbito da vida social, econômica, política e cultural” (DA nº 212).


Fonte: Canção Nova Notícias
Capa CN Notícias

Cardeal Martini: Um ano de falecimento

Francisco relembra Cardeal Martini com jesuítas e amigos


Cardeal Martini faleceu em 31 de agosto de 2012, aos 85 anos.

       Nesta sexta-feira, dia 30, véspera do primeiro aniversário de morte do Cardeal Carlo Maria Martini, arcebispo emérito de Milão, o Papa Francisco recebeu um grupo de jesuítas animadores e membros da “Fundação Carlo Maria Martini”, com outras pessoas ligadas à iniciativa.
       A Fundação é uma iniciativa da Província da Itália da Companhia de Jesus, em colaboração com a arquidiocese de Milão. A proposta é recordar o cardeal promovendo o conhecimento e o estudo de sua vida e de suas obras, mantendo vivo o espírito que animou o seu empenho e favorecendo a experiência da Palavra de Deus no contexto da cultura contemporânea.
       A Fundação tem sua sede em Turim, cidade natal do Cardeal Martini. Nascido em 1927, Carlo Martini era biblista de formação e foi arcebispo de Milão, a maior diocese da Europa, de 1979 a 2002.
       Em seu último livro, sobre a figura do bispo, o cardeal diz que aquele deve ser antes de mais nada “íntegro, honesto, leal, capaz de não mentir nunca, paciente, misericordioso, pronto a oferecer esperança a quem sofre, mas, acima de tudo, um homem verdadeiro, capaz de ouvir a todos, mesmo não crentes, separados, divorciados e homossexuais”.


Fonte: Canção Nova Notícias - Papa Francisco

Papa Francisco: Nomeações no Vaticano

Papa Francisco faz nomeação para o Governo do Vaticano



       O Papa Francisco nomeou nesta sexta-feira, dia 30, o novo secretário geral do Governatorato do Estado da Cidade do Vaticano. O padre espanhol Fernando Vérgez Alzaga tem 68 anos, é membro da Congregação dos Legionários de Cristo. Até o momento, o religioso era diretor do Departamento de Telecomunicações do Vaticano.
       O novo secretário foi ordenado sacerdote em 1969. Cursou a Filosofia e Teologia na Pontifícia Universidade Gregoriana. Fez especialização de arquivista na Escola de Arquivos Secretos do Vaticano. Iniciou em 1972 os trabalhos na Sata Sé, como membro da Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e Sociedades Apostólicas.
       Em 1984 foi transferido para o Pontifício Conselho para os Leigos. Exerceu também a chefia do Departamento de Internet da Santa Sé. Desde 2008 ocupava o cargo de diretor das Telecomunicações. O cargo era ocupado por Dom Giuseppe Sciacca, que foi nomeado secretário adjunto do Supremo Tribunal da Signatura Apostólica.
       O Santo Padre nomeou como novo bispo da Diocese de Barinas, Venezuela, Dom José Luis Azuaje Ayala. Dom Ayala nasceu 1957 em Valera, diocese de Trujillo, onde cursou a Filosofia e Teologia. Na Universidade Gregoriana em Roma, especializou-se em  Teologia Fundamental.
       Foi ordenado sacerdote em 1984 e em 2006 nomeado bispo de Italica e auxiliar de Barquisimeto. Em 2006 foi nomeado bispo de El Vigía – São Carlos de Zulia. O bispo substituirá Dom Ramón Antonio Linares Sandoval, que pediu renúncia por limite de idade, conforme exige o Código de Direito Canônico. A Santa Sé anunciou também a nomeação de Paolo Ceruzzi, consultor para a Prefeitura dos Negócios Econômicos da Santa Sé.


Fonte: Canção Nova Notícias - Papa Francisco

terça-feira, 27 de agosto de 2013

CNBB: Estudo sobre pensamento de João Paulo II

Pensamento de João Paulo II sobre a pessoa, a família e o matrimônio será estudado em Curso de Extensão



       Com o objetivo de difundir o pensamento de João Paulo II sobre a pessoa, a família e o matrimônio, a Comissão Episcopal Pastoral para a Vida e a Família da CNBB e o Pontifício Instituto João Paulo II de estudos sobre matrimônio e família de Roma (PIJPII) realizaram na segunda-feira, 26 de agosto, na casa das Irmãs da Caridade, em Guarulhos (SP), um encontro com pós-graduados e especialistas em família.
       O presidente da Comissão EPVF da CNBB e bispo de Camaçari (BA), dom João Carlos Petrini, explica que a finalidade deste encontro foi organizar um corpo de docentes com especialização e pós-graduação em família, para prestarem um serviço à Igreja por meio de um Curso de Extensão em Família, chancelado pelo Pontifício Instituto de Roma.
       De acordo com o assessor da Comissão para a Vida e a Família, padre Wladimir Porreca, o curso será oferecido àsPontifícias Universidades Católicas (PUCs) do Brasil e depois aos institutos e dioceses que tiverem interesse pelo estudo. Estiveram presentes no encontro representantes que formularam as ementas do curso e as prioridades. Em breve serão divulgados mais detalhes. Contato: familia@cnbb.org.br

O Curso de Extensão propõe uma grade com os seguintes módulos:

1) Introdução
História da Família
Abordagens filosóficas na compreensão da família
Aspectos psicológicos e sociológicos da família
Mudanças na estrutura e dinâmica da família brasileira

2) Família comunhão entre pessoas, uma perspectiva filosófica
Pessoa e natureza,
Interpessoalidade GS 22,
Identidade e dom de si GS 24.

3) Pessoa, Matrimônio e Família no pensamento de João Paulo II
Solidão originária
Diferença sexual
Imago Dei
Linguagem do corpo

4) Teologia do matrimônio cristão
Instituição matrimonial e Sacramentalidade
Mistério Pascal – Mistério Nupcial
Trajetória do desejo

5) Caminhar à luz do amor
Agir moral como experiência da pessoa
Liberdade moral e as fontes da moralidade
Consciência moral como espaço da vida no Espírito

6) Ética do amor e da sexualidade
Ética sexual na perspectiva cristã
Fecundidade e responsabilidade – Humanae Vitae

7) Bioética
Família e dignidade da vida humana
Cultura da vida

8) Pastoral Familiar
9) Família e ciências sociais
10) Família e o religioso


Fonte: Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB)

Relíquia de João Paulo no Rio de Janeiro

Relíquia de João Paulo II visita diversas paróquias do RJ

Relíquia de João Paulo II é composta pelo sangue do beato

       A Relíquia de João Paulo II, trazida para o Brasil por ocasião da Jornada Mundial da Juventude (JMJ), permanece peregrinando pelas paróquias da Arquidiocese do Rio de Janeiro-RJ até o mês de outubro.
       Sob os cuidados do presidente do Pontifício Conselho para os Leigos, Cardeal Stanislaw Rylko, a relíquia é composta pelo sangue do beato João Paulo II, retirado um dia antes de sua morte para exames clínicos e preservado depois de sua morte.

Confira o roteiro da peregrinação no mês de setembro:

> 23 a 27 de agosto: Paróquia Nossa Senhora da Guia, Lins
Rua Lins de Vasconcelos, 699

> 28 e 30 de agosto: Paróquia Nossa Senhora de Fátima, Méier
Rua Adriano, 158

> 29 de agosto: Paróquia São Tiago em Inhaúma (participará do Encontro de Obras das Vocações Sacerdotais com Dom Roberto)
Praça 24 de outubro, 165

> 30 de agosto a 2 de setembro: Paróquia Nossa Senhora da Consolata, em São Cristóvão
Rua São Luiz Gonzaga, 1860

> 7 de setembro: Comunidade Pequeno Rebanho, na Penha
Travessa da Generosidade, 162

> 7 a 9 de setembro: Paróquia Imaculada da Conceição e São Sebastião, Engenho de Dentro
Rua Coração de Maria, 66

> 10 a 12 de setembro: Paróquia Nossa Senhora das Dores e São Judas Tadeu, Anchieta
Estrada do Engenho Novo, 270, casa 12

> 13 a 15 de setembro: Paróquia Nossa Senhora de Fátima, na Taquara.
Rua Benevente, 15

> 15 de setembro: Paróquia Sagrada Família, Ilha do Governador
Rua Morro do Ouro, 231

> 19 a 21 de setembro: Basílica Imaculado Coração de Maria, Méier
Rua Coração de Maria, 66

> 21 a 23 de setembro: Paróquia São Paulo Apóstolo
Rua Belchior da Fonseca, 301

> 28 a 30 de setembro: Paróquia Senhor do Bonfim, Cordovil
Praça Dom Justino, s/n - Cidade Alta

> 4 a 5 de outubro:  Paróquia Santa Rita de Cássia, Jardim Palmares
Rua Soldado Francisco Rios, 132

> 5 a 7 de outubro: Paróquia Nossa Senhora de Fátima, Paciência
Estrada dos Vieiras, 90


Fonte: Canção Nova Notícias
Capa CN Notícias

Paz na Síria

"Apelo do Papa dá confiança ao povo sírio", comenta bispo


Bandeira da Síria

       O apelo do Papa Francisco pela paz na Síria neste domingo, dia 25, foi acolhido com muito apreço por grande parte da população. É o que informa o bispo de Alepo para os Caldeus e presidente da Cáritas Síria, Dom Antoine Audo. O país vive uma situação de intensos conflitos, principalmente após um suposto ataque químico na semana passada.
       Dom Antoine relata que ficou muito contente por ouvir que o Santo Padre está próximo ao povo sírio. Durante o Angelus deste domingo, Francisco expressou seu sofrimento com a situação e pediu que a comunidade internacional faça tudo que for possível pela paz.
       “Foi algo muito pessoal, muito claro e direto. Isto dá confiança a todos nós que agora estamos, sobretudo em Alepo, em uma situação muito difícil. A mensagem do Santo Padre é muito, muito positiva e foi muito apreciada por grande parte da população”, disse o bispo.


Intervenção militar
       Diante da situação, têm-se ouvido falar de uma possível intervenção militar na Síria. Para Dom Antoine, isso significaria uma guerra mundial. Mas ele tem esperança de que os apelos do Papa ajudem a estabelecer a paz.
       “Esperamos que a intervenção do Papa para favorecer um verdadeiro diálogo entre as diferentes partes do conflito, para encontrar uma solução, seja o primeiro passo para não usar armas, mas para garantir que as pessoas sejam livres para se mover, para viajar, para se comunicar e trabalhar...Todo o país está em guerra agora! Isto é o que esperamos: uma força internacional que ajude a dialogar e não a fazer a guerra”.


Fonte: Canção Nova Notícias
Capa CN Notícias

Missão em Madagascar

Jovem conta experiência vocacional e missionária em Madagascar

Bandeira de Madagascar (África)

       A Igreja Católica dedica o mês de agosto às vocações, entre as quais, está o chamado de Deus a uma vida missionária. É o caso de Aglauberto Nascimento da Silva, de 33 anos, missionário na Comunidade Católica Shalom. Há 12 anos, Aglauberto fez a experiência de deixar família, estudo, namoro e uma vida independente, para se aventurar na missão de evangelizar.
       Em 2008, após 6 anos na comunidade, Aglauberto foi enviado em missão para a África, em Madagascar. Segundo ele, o enviou missionário o alegrou. “Fiquei muito surpreso com os desígnios de Deus e também muito feliz por poder testemunhar uma experiência que tive com o amor de Deus e levá-la às pessoas”.


O campo de missão
       Aglauberto, que foi acompanhado de outros missionários da Comunidade, conta que ao chegarem a Madagascar, foram bem acolhidos pelo povo local. Uma casa simples seria a partir de então tanto o local de moradia, como a casa de evangelização daqueles missionários.
       “Não foi fácil”, diz o jovem. Segundo ele, as principais dificuldades foram o choque cultural e o idioma. A língua oficial em Madagascar é o malgaxe e a segunda mais falada é o francês. “Quando chegamos lá não tínhamos uma base tão boa de francês para aprender a língua deles. Era um desafio! Estudávamos bastante”, disse.
       Outra dificuldade foi a enfermidade. O missionário adquiriu a febre Tifóide, doença típica na região de Madagascar. “Em meio aos desafios, passou pela cabeça desistir, mas esses desafios não me faziam querer retornar, até porque eles fazem parte da vida do missionário, é nossa cruz”.
       Em Madagascar, os trabalhos da Comunidade Shalom são focados na área social. A casa da Comunidade, que continua na região, acolhe crianças com deficiência física, consideradas pela cultura local como uma espécie de "maldição".
       Para Aglauberto, a principal contribuição oferecida aos africanos é o anúncio do amor de Deus. “Foi lembrá-los que, apesar dos sofrimentos deles, existe um Deus que os ama. Nós tentamos passar essa verdade por meio de nossa vida. Apesar de todas as dificuldades, há um Deus que cuida de nós”.
       A manutenção da casa era realizada por doações de pessoas da região, mas, sobretudo, pela ajuda enviada do Brasil e da Europa. “Vivíamos de maneira simples, não nos faltava o básico e nós sabíamos que por estarmos numa realidade simples, os desafios faziam parte. Deus nunca nos deixou faltar o necessário para testemunhar, por meio da dignidade, os Seus cuidados”, garantiu Aglauberto.


Vida missionária: um chamado do Céu
       Ser missionário não estava nos planos de Aglauberto. Antes de ingressar na Comunidade Shalom, o jovem trabalhava e namorava. Após uma experiência em um Encontro de evangelização da Renovação Carismática Católica (Seminário de Vida no Espírito) percebeu um chamado especial.
       “Não me imaginava missionário, mas depois de ter feito uma experiência com Cristo descobri que Deus me chamava a mais, que Ele havia me criado Shalom. Encontro-me completamente feliz, servindo a Deus como comunidade de vida, vivendo da Providência de Deus, vivendo a castidade e a pobreza; vejo-me realizado e faria tudo de novo, com muita convicção”, salientou.
       Àqueles que se sentem chamados à vocação missionária, Aglauberto garante este é um caminho para a felicidade. “Não tenham medo daquilo que Jesus Cristo nos propõe, de expor a sua vida com gratuidade e generosidade. O que Deus também nos dá é gratuito, é abundante. Vale a pena saber que Ele é o nosso maior tesouro e aqueles que descobrem essa pérola encontraram a sabedoria de suas vidas que é Jesus Cristo e assim será uma pessoa feliz e plena”, afirmou.


Fonte: Canção Nova Notícias
Capa CN Notícias

Importância da missão do catequista

Dom Orani destaca importância da missão do catequista


Aos catequistas, com gratidão!

Logo depois de termos celebrado a Semana Nacional da Família, quando nossas famílias foram convidadas a serem transmissoras da nossa fé, dentro do tema do Mês das Vocações que está em sintonia com o tema da JMJ Rio 2013, gostaria de fazer chegar a todos os catequistas uma mensagem especial pelo seu dia, neste último final de semana de agosto, refletindo acerca de sua importante missão. 

Catequista, você é uma pérola especial e um tesouro para Deus e sua amada Igreja. A sua singular vocação foi gerada no coração de Deus Pai, para que pudesse chegar aos corações dos seus filhos e filhas com a mensagem da vida – Jesus Cristo. Catequista, você não é apenas um transmissor de ideias, conhecimentos, doutrina ou, mais ainda, um professor de conteúdos e teorias, mas é um canal da experiência viva do encontro intrapessoal com a pessoa de Jesus Cristo.

Essa experiência é comunicada pelo Ser, Saber e Saber Fazer em comunidade, no coração da missão catequética. O ser e o saber do catequista se fundamentam numa dinâmica divina pautada na espiritualidade da gratuidade, da confiança, da entrega, da certeza de que somos impulsionados pelo Espírito Santo, fortalecidos pelo Cristo e amparados pelo Pai.

Catequista, com certeza são muitos, grandes e difíceis os desafios hoje de nossa catequese. Vivemos numa realidade que muitas vezes é contrária àquilo que anunciamos em nossa missão de levar e testemunhar a mensagem de Jesus Cristo. Mas temos a certeza de que não caminhamos sozinhos, somos assistidos pela grande catequista, a Virgem Santíssima.

Por isso, peço-lhe que a experiência do encontro com Jesus Cristo seja a força motivadora capaz de lhe trazer o encantamento por esse fascinante caminho de discipulado, cheio de desafios, mas que o faz crescer e acabam gerando profundas alegrias.

"A catequese é uma educação da fé das crianças, dos jovens e dos adultos, a qual compreende especialmente um ensino da doutrina cristã, dado em geral de maneira orgânica e sistemática, com o fim de iniciá-los na plenitude da vida cristã" (CT). Ensina o Catecismo da Igreja Católica: "no centro da catequese encontramos essencialmente uma Pessoa, a de Jesus Cristo de Nazaré, Filho único do Pai...”(cf CIC 1992). A finalidade definitiva da catequese é levar à comunhão com Jesus Cristo: só Ele pode conduzir ao amor do Pai no Espírito e fazer-nos participar da vida da Santíssima Trindade. Todo catequista deveria poder aplicar a si mesmo a misteriosa palavra de Jesus: 'Minha doutrina não é minha, mas Daquele que me enviou' (Jo 7,16) (CIC, 426-427).

Catequista, acolha, neste dia, nosso afetuoso abraço de gratidão de nossa amada mãe Igreja, nos seus bispos, padres e de milhares de pessoas, vidas agradecidas pela sua presença na educação da fé de nossos catequizandos, crianças, adolescentes, jovens e adultos. Em sua ação se traduz, de uma forma única e original, a vocação da Igreja-Mãe que cuida maternalmente dos filhos que gerou na fé, pela ação do Espírito.

Parabéns catequistas!
Poderíamos dizer muitas coisas, palavras eloquentes e profundas, mas uma só é necessária: Deus lhe pague! E que a Força da Palavra continue a suscitar-lhe a fé e o compromisso missionário!

Que a comunidade continue sendo o referencial da experiência do encontro com Cristo naqueles que sofrem, naqueles que buscam acolhida e necessitam ser amados, amparados e cuidados.

A ternura amorosa do Pai, a paz afável do Filho e a coragem inspiradora do Espírito Santo que cuida com carinho dos seus filhos e filhas, que um dia nos chamou a viver com alegria a vocação de catequista discípulo missionário, estejam na sua vida, na vida da sua comunidade hoje e sempre!


† Dom Orani João Tempesta, O. Cist.
Arcebispo Metropolitano de São Sebastião do Rio de Janeiro, RJ


Fonte: Canção Nova Notícias
Capa CN Notícias

sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Papa Francisco: Missa aos agostinianos

Papa celebrará Missa para agostinianos



       Na próxima quarta-feira, dia 28, dia em que a Igreja celebra a festa litúrgica de Santo Agostinho, o Papa Francisco vai visitar a Casa Geral dos Agostinianos, em Roma, ao lado do Vaticano, por ocasião da abertura do Capítulo geral, de número 184.
       A visita do Santo Padre se realizará, às 18h, em forma estritamente privada, aos cerca de 90 agostinianos capitulares, guiados pelo vigário geral, padre Michael de Gregório. Durante a sessão capitular, será eleito o novo Prior geral, que substituirá o padre Robert Prevost, que conclui seu segundo mandato.
       A partir deste sábado, dia 24, os restos mortais de Santo Agostinho, bispo de Hipona, serão expostos na basílica de São Pedro, em Pavia, para a veneração dos fiéis. Santo Agostinho faleceu em Hipona, na Argélia, em 28 de agosto de 430.
       A urna de mármore, que contém as relíquias do grande Doutor da Igreja, será posta sobre o altar, da basílica de São Pedo, ao término da celebração Eucarística, presidida pelo bispo de Ivrea, Dom Eduardo Cerrato, onde ficará exposta até o dia da festa litúrgica de Santo Agostinho, dia 28.
       A Ordem de Santo Agostinho, cujos membros são conhecidos também como Agostinianos, é uma ordem religiosa de frades mendicantes, nascida em 1244.


Fonte: Canção Nova Notícias - Papa Francisco
Canção Nova

Papa Francisco: Audiência com japoneses

Em encontro com japoneses, Papa enfatiza o diálogo: “não há paz sem diálogo”



       O Papa Francisco recebeu em audiência na manhã da última quarta-feira, dia 21, alunos e professores do Colégio japonês Seibu Gauken Bunri Junior. Nas breves palavras dirigidas a eles, o Santo Padre focou na importância do diálogo, do conhecer outras pessoas e culturas, pois isso leva ao crescimento pessoal e à paz.
       “Se nós somos isolados em nós mesmos, temos somente aquilo que temos, não podemos crescer culturalmente; em vez disso, se nós vamos encontrar outras pessoas, outras culturas, outros modos de pensar, outras religiões, nós saímos de nós mesmos e começamos aquela aventura tão bela que se chama ‘diálogo’ ”.
       Francisco não deixou de considerar o perigo da briga, algo que pode acontecer durante um diálogo. Mas para poder dialogar sem brigar, o Santo Padre destacou a brandura, a capacidade de encontrar as pessoas e as culturas com paz. “Ouvir os outros e depois falar. Primeiro ouvir, depois falar. Tudo isso é brandura”, disse.
       E este diálogo brando, sabendo ouvir o outro é o que faz a paz. “Não se pode ter paz sem diálogo. Todas as guerras, todas as lutas, todos os problemas que não se resolvem, com os quais nos deparamos, existem por falta de diálogo”.
       Ouvindo as palavras do Papa, uma das alunas manifestou-se, agradecendo ao Santo Padre por ter concedido a eles um pouco de seu “precioso tempo”. “Estamos felizes por ter a oportunidade de encontrá-lo e escutar suas palavras. De agora em diante colocaremos em prática na nossa vida aquilo que escutamos do senhor”.


Fonte: Canção Nova Notícias - Papa Francisco
Canção Nova

sábado, 17 de agosto de 2013

CNBB: Dia do Catequista

Comissão da CNBB divulga mensagem pelo Dia do Catequista



       O Dia do Catequista é celebrado em 25 de agosto em todo Brasil. O presidente da Comissão Episcopal Pastoral para Animação Bíblico-Catequética, Dom Jacinto Bergmann, divulgou uma mensagem a esses importantes atores da caminhada da comunidade eclesial.
       Leia a mensagem:


Mensagem aos/às catequistas do Brasil

Um grande grito de louvor e ação de graças brota do nosso coração, por ocasião, mais uma vez, do Dia do/a Catequista. Nele celebramos o ministério bíblico-catequético de todos nós, tão essencial na vida da Igreja! O que seria da Igreja no Brasil, sem a plêiade de catequistas espalhados por todas as “periferias existenciais” do seu imenso território?

Neste ano de 2013, ainda em pleno Ano da Fé, fazemos a memória sagrada do documento “Catequese Renovada”. Desejo que cada um/uma de vocês sinta profunda alegria, não somente pelo documento escrito, mas por causa de toda a vida que ele gerou e impulsionou em nossa caminhada eclesial. Muitos de vocês, os/as mais vividos/as, guardam na mente e no coração o grande mutirão – um verdadeiro “vendaval” provocado pelo Espírito Santo - que trazia um dinamismo novo à nossa prática bíblico-catequética. Todos nós vimos ou ouvimos falar do imenso esforço feito por pessoas que gastaram o melhor de suas vidas para divulgar e tornar vivo em nossas comunidades este espírito novo.  Quero destacar, de modo muito especial, o Frei Bernardo Cansi, que já está na casa do Pai, de onde continua a nos inspirar. Este homem fez da “Catequese Renovada” sua grande missão para servir Jesus Cristo de forma incansável: uma verdadeira paixão que contagiou milhares de catequistas por todo o Brasil. Na pessoa dele agradecemos a Deus toda a nuvem de catequetas e biblistas a serviço da renovação bíblico-catequética. E também agradecemos a Deus por cada um de vocês que até hoje lutam e, sem esmorecer, continuam a lutar para tornar realidade o processo de Iniciação à Vida Cristã e de Animação Bíblica da Vida e da Pastoral, que são os frutos atuais desse esforço de renovação.

Neste Dia do/a Catequista também não podemos deixar de lembrar o que aconteceu entre nós há um mês atrás . O profundo processo bíblico-catequético desencadeado pela JMJ, envolvendo grande número de bispos, presbíteros, religiosos e leigos – especialmente jovens -, mas tendo o papa Francisco como catequista principal. Ele apareceu diante de nossos olhos maravilhados de uma maneira muito simples mas profundamente tocante de evangelizar. Uma catequese, feita por ele, de gestos, de atitudes, de simbologias e de palavras cheias de afeto e unção dirigidas ao coração dos jovens e de todas as pessoas, provocando ânimo, coragem, esperança e intensa alegria. Uma perfeita experiência de catequese “comunitária, vivencial e bíblica”, como o próprio documento “Catequese Renovada” propõe.

Por fim recordamos, agradecidos, o papel de Nossa Senhora Aparecida, grande catequista que sustenta a fé, a esperança e o amor do nosso povo brasileiro. Que ela esteja sempre ao nosso lado e nos alcance a bênção da Trindade Santa!

PARABÉNS, queridos/as catequistas da nossa Igreja no Brasil!


Dom Jacinto Bergmann
Arcebispo de Pelotas/RS
Presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Animação Bíblico-Catequética