Follow by Email

Páginas

quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Iluminar o coração com a Palavra de Deus

Liturgia diária



Quinta-feira, 31 de janeiro de 2013
3ª Semana do Tempo Comum
Memória de São João Bosco
Cor Branca


> Primeira leitura: Hebreus, 10, 19-25
> Responsório: Salmos 23
> Evangelho: Marcos 4, 21-25



— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Marcos.
— Glória a vós, Senhor.



       Naquele tempo, Jesus disse à multidão: 21“Quem é que traz uma lâmpada para colocá-la debaixo de um caixote, ou debaixo da cama? Ao contrário, não a põe num candeeiro?22Assim, tudo o que está escondido deverá tornar-se manifesto, e tudo o que está em segredo deverá ser descoberto. 23Se alguém tem ouvidos para ouvir, ouça”. 24Jesus dizia ainda: “Prestai atenção no que ouvis: com a mesma medida com que medirdes, também vós sereis medidos; e vos será dado ainda mais. 25Ao que tem alguma coisa, será dado ainda mais; do que não tem, será tirado até mesmo o que ele tem”. 


- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Padroeiro da juventude

Santo do dia:

São João Bosco




       Nasceu perto de Turim, na Itália, em 1815. Muito cedo conheceu o que significava a palavra sofrimento, pois perdeu o pai tendo apenas dois anos. Sofreu incompreensões por causa de um irmão muito violento que teve. Dom Bosco quis ser sacerdote, mas sua mãe o alertava: "Se você quer ser padre para ser rico, eu não vou visitá-lo, porque nasci na pobreza e quero morrer nela".
       Logo, Dom Bosco foi crescendo diante do testemunho de sua mãe Margarida, uma mulher de oração e discernimento. Ele teve que sair muito cedo de casa, mas aquele seu desejo de ser padre o acompanhou. Com 26 anos de idade, ele recebeu a graça da ordenação sacerdotal. Um homem carismático, Dom Bosco sofreu. Desde cedo, ele foi visitado por sonhos proféticos que só vieram a se realizar ao longo dos anos. Um homem sensível, de caridade com os jovens, se fez tudo para todos. Dom Bosco foi ao encontro da necessidade e da realidade daqueles jovens que não tinham onde viver, necessitavam de uma nova evangelização, de acolhimento. Um sacerdote corajoso, mas muito incompreendido. Foi chamado de louco por muitos devido à sua ousadia e à sua docilidade ao Divino Espírito Santo. 
       Dom Bosco difundiu amplamente os chamados "Oratórios". Catequeses e orientações profissionais foram surgindo para os jovens a partir de então. Enfim, Dom Bosco era um homem voltado para o céu e, por isso, enraizado com o sofrimento humano, especialmente, dos jovens. Grande devoto da Santíssima Virgem Auxiliadora, foi um homem de trabalho e oração. Exemplo para os jovens, foi pai e mestre, como encontramos citado na liturgia de hoje. São João Bosco foi modelo, mas também soube observar tantos outros exemplos. Fundou a Congregação dos Salesianos dedicada à proteção de São Francisco de Sales, que foi o santo da mansidão. Isso que Dom Bosco foi também para aqueles jovens e para muitos, inclusive aqueles que não o compreendiam.
       Para toda a Igreja, é um grande intercessor, porque viveu a intimidade com Nosso Senhor. Homem orante, de um trabalho santificado, em tudo viveu a inspiração de Deus. Deixou uma grande família, um grande exemplo de como viver na graça, fiel a Nosso Senhor Jesus Cristo.
       Em 31 de janeiro de 1888, tendo se desgastado por amor a Deus e pela salvação das almas, ele partiu. Mas está conosco no seu testemunho e na sua intercessão.

       
São João Bosco, rogai por nós!



Fonte: http://www.cancaonova.com/portal/canais/liturgia/santo/index.php?mes=1&dia=31&id=366

JMJ Rio 2013: inscrições prorrogadas


Inscrições dos voluntários da JMJ são prorrogadas até fevereiro





       Devido à grande procura dos últimos dias, o Setor Voluntários do Comitê Organizador Local (COL) prorrogou as inscrições dos voluntários até o dia 15 de fevereiro. A partir desta data, a documentação dos novos selecionados será organizada e eles serão divididos por equipes.
       De acordo com o Setor, os voluntários poderão trabalhar nos locais de hospedagem dos peregrinos, nos pontos de informação espalhados pela cidade, na organização dos eventos durante a JMJ, nos atos culturais, catequeses, tradução, serviços de saúde, comunicação, setor administrativo, entre outros. 
       A divisão por equipes deverá ser finalizada até abril, quando os voluntários receberão um e-mail do Setor com as informações necessárias para a execução do serviço durante o encontro da juventude com o Papa Bento XVI.
       O Setor lembra ainda a importância do envio da documentação no prazo previsto para que a seleção dos voluntários seja validada. Isso se refere especificamente aos voluntários nacionais e internacionais. 
       O prazo para envio da documentação está previsto no e-mail de confirmação que todos receberam. Sem essas informações não é possível completar o cadastro final, invalidando o processo.


Fonte: http://noticias.cancaonova.com/noticia.php?id=288543

Revelação sobre o pontificado de Pio XII


Historiadora revela: 
Igreja usou estratégia para combater nazismo


Papa Pio XII
(pontificado: 1939-1958)



       Novos documentos dos ‘National Archives’ britânicos revelam como o Papa Pio XII combateu o nazismo também através de investimentos nos Estados Unidos, informou o ‘L´Osservatore Romano’.

       A pesquisa sobre o tema, conduzida pela historiadora Patricia McGoldrick, foi publicada no “The Historical Journal”, da Universidade de Cambridge. No centro da história está Bernardino Nogara, membro da direção do Banco Comercial Italiano e amigo da família Ratti. Em 1929 ele foi chamado para dirigir as finanças da Santa Sé. Nogara, orientado pela Cúria romana, foi o protagonista da estratégia financeira do Vaticano durante a II Guerra Mundial.
       A estratégia consistia em transferir e investir milhões de dólares nos maiores bancos dos Estados Unidos e da Grã-Bretanha, evitando assim o confisco por parte dos nazistas e permitindo a ajuda à Igreja e às populações perseguidas.
       A historiadora baseou sua pesquisa em documentos do Serviço Secreto britânico, no período de 1941 a 1943, conservados nos ‘Arquivos Nacionais’. Eles dizem respeito às atividades das principais instituições financeiras do Vaticano, ou seja, a Seção Extraordinária da Administração dos Bens da Santa Sé (ASSS) e o Instituto de Obras para a Religião (IOR).
        A pesquisadora concluiu que a Santa Sé usou o instrumento financeiro como estratégia para combater a ocupação nazista e aliviar as feridas da Europa. Desde os primeiros anos do mandato, Nogara e seus colaboradores montaram uma bem formada rede de contatos e relacionamentos, demonstrando uma notável capacidade diplomática. 
        As atividades das instituições financeiras do Vaticano – escreve McGoldrick -, fornecem uma prova muito clara de que o Vaticano enviava sistematicamente os seus títulos, via Lisboa, para colocá-los em local seguro, como as contas em bancos norte-americanos.
       No início do conflito, a Santa Sé decidiu transferir enorme quantidade de valores (títulos, reservas, doações, dinheiros das dioceses) dos territórios controlados pelos nazistas para os Estados Unidos. E isto sob os auspícios de Washington, que havia não somente isentado o Vaticano das restrições impostas a operações ligadas a Países inimigos, os ‘US Freezibng Orders’, mas também usava uma maior flexibilidade quando os pedidos vinham de Roma.
       Grande parte deste dinheiro era usado para sustentar a Igreja em dificuldade, as missões, as nunciaturas, os seminários e as dioceses de todos os continentes. Era um canal privilegiado para a Europa, levando alívio à Igreja perseguida durante a ocupação nazista, onde escolas católicas, mosteiros e igrejas eram confiscados ou fechados, organizações de jovens ou publicações católicas suspensas, e numerosos sacerdotes e religiosos presos em campos de concentração.
       Os documentos do “National Archives” também revelam financiamentos para atividades humanitárias em favor das tropas aliadas e das populações envolvidas na guerra. Como exemplo, em abril de 1944, Pio XII organizou carregamentos de farinha para a cidade de Roma, onde já havia fornecido mais de cem mil refeições diárias, tentando também importar gêneros alimentícios da Argentina e da Espanha para a Itália e para a Grécia.





Fonte: http://noticias.cancaonova.com/noticia.php?id=288539

Catequese - 30/01/2013


"Crer que Deus é Pai é um ato de fé e conversão", 
diz o Papa Bento XVI


"Deus é um Pai que não abandona nunca os seus filhos,
um Pai amoroso que sustenta, ajuda, acolhe, perdoa, salva..."


       O Papa Bento XVI prosseguiu nesta quarta-feira, 30, as reflexões sobre o “Credo” – profissão da fé católica, como tem feito desde a semana passada, quando falou sobre “Eu creio em Deus”. 
       Nesta segunda reflexão, o Santo Padre concentrou os ensinamentos em torno da primeira definição de Deus que o Credo apresenta: Ele é Pai. Bento XVI ressaltou que quando a paternidade de Deus é professada, deposita-se a  fé no poder do seu amor que no seu Filho morto e ressuscitado derrota o ódio, o mal, o pecado e abre a vida eterna aos que creem. 
       “Dizer ‘Eu creio em Deus Pai onipotente’, no seu poder, no seu modo de ser Pai, é sempre um ato de fé, de conversão, de transformação do nosso pensamento, de todo o nosso afeto, de todo o nosso modo de viver”, explicou o Pontífice.
       O Papa disse que o reconhecimento de Deus como Pai é uma tarefa dificultada pelo estilo de vida ocorrente principalmente no mundo ocidental.
       Segundo Bento XVI, a vida familiar passa por diversas intervenções como os compromissos de trabalho mais exigentes, as preocupações, a dificuldade de enquadrar as contas familiares e a invasão dos meios de comunicação de massa na vida cotidiana. 
       Com isso as referências de paternidade acabam ficando prejudicadas, diz o Papa. “Para quem teve a experiência de um pai demasiado autoritário e inflexível, ou indiferente e pouco afetuoso, ou até mesmo ausente, não é fácil pensar com serenidade em Deus como Pai e abandonar-se a Ele com confiança”.
       No entanto, o Santo Padre acredita que nos Evangelhos, a figura de Deus como Pai é construída, especialmente no Mistério Pascal de Cristo Jesus. O Papa citou alguns exemplos bíblicos que reforçam a imagem amorosa e paterna de Deus. A partir deles, é possível afirmar: “Deus é um Pai que não abandona nunca os seus filhos, um Pai amoroso que sustenta, ajuda, acolhe, perdoa, salva, com uma fidelidade que supera imensamente a dos homens, para abrir-se a uma dimensão da eternidade.”
       O Papa ressaltou que é necessário entender que o pensamento de Deus é diferente do pensamento humano. Suas vias diferentes e sua onipotência são diferente: não se exprime como força automática ou arbitrária, mas é marcada por uma liberdade amorosa e paterna.
       Ao concluir a reflexão, o Santo Padre rezou pedindo a Deus que conceda a todos a graça do dom da filiação, “para viver em plenitude a realidade do Credo, no abandono confiante ao amor do Pai e à sua misericordiosa onipotência que é a verdadeira onipotência e salvação.”



Fonte: http://noticias.cancaonova.com/noticia.php?id=288532

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Como estamos recebendo as sementes de Deus?

Liturgia diária



Quarta-feira, 30 de janeiro de 2013
3ª Semana do Tempo Comum
Cor Verde


> Primeira leitura: Hebreus 10, 11-18
> Responsório: Salmos 109
> Evangelho: Marcos 4, 1-20



— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Marcos.
— Glória a vós, Senhor.



       Naquele tempo, 1Jesus começou a ensinar de novo às margens do mar da Galileia. Uma multidão muito grande se reuniu em volta dele, de modo que Jesus entrou numa barca e se sentou, enquanto a multidão permanecia junto às margens, na praia. 
       2Jesus ensinava-lhes muitas coisas em parábolas. E, em seu ensinamento, dizia-lhes:3“Escu­tai! O semeador saiu a semear. 4Enquanto semeava, uma parte da semente caiu à beira do caminho; vieram os pássaros e a comeram. 5Outra parte caiu em terreno pedregoso, onde não havia muita terra; brotou logo, porque a terra não era profunda, 6mas, quando saiu o sol, ela foi queimada; e, como não tinha raiz, secou. 7Outra parte caiu no meio dos espinhos; os espinhos cresceram, a sufocaram, e ela não deu fruto.
       8Outra parte caiu em terra boa e deu fruto, que foi crescendo e aumentando, chegando a render trinta, sessenta e até cem por um”. 9E Jesus dizia: “Quem tem ouvidos para ouvir, ouça”. 10Quando ficou sozinho, os que estavam com ele, junto com os Doze, perguntaram sobre as parábolas. 11Jesus lhes disse: “A vós, foi dado o mistério do Reino de Deus; para os que estão fora, tudo acontece em parábolas, 12para que olhem mas não enxerguem, escutem mas não compreendam, para que não se convertam e não sejam perdoados”. 
       13E lhes disse: “Vós não com­preendeis esta parábola? Então, como compreendereis todas as outras parábolas? 14O semeador semeia a Palavra. 15Os que estão na beira do caminho são aqueles nos quais a Palavra foi semeada; logo que a escutam, chega Satanás e tira a Palavra que neles foi semeada. 16Do mesmo modo, os que receberam a semente em terreno pedregoso, são aqueles que ouvem a Palavra e logo a recebem com alegria, 17mas não têm raiz em si mesmos, são inconstantes; quando chega uma tribulação ou perseguição, por causa da Palavra, logo desistem.
       18Outros recebem a semente entre os espinhos: são aqueles que ouvem a Palavra;19mas quando surgem as preocupações do mundo, a ilusão da riqueza e todos os outros desejos, sufocam a Palavra, e ela não produz fruto. 20Por fim, aqueles que recebem a semente em terreno bom são os que ouvem a Palavra, a recebem e dão fruto; um dá trinta, outro sessenta e outro cem por um.” 


- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

De Clarisse para Jacinta

Santa do dia:

Santa Jacinta Marescotti





       Em Roma, em 1585, nasceu Jacinta, dentro de uma família muito nobre, religiosa, com posses, mas que possuía, principalmente, a devoção, o amor acima de tudo. Seus pais faziam de tudo para que os filhos conhecessem Jesus e recebessem uma ótima educação.
       Jacinta Marescotti que, então, tinha como nome de batismo Clarisse, foi colocada num convento para a sua educação, numa escola franciscana, juntamente com as irmãs. Uma das irmãs dela já era religiosa franciscana.
       Crescendo na educação religiosa, com valores. No entanto, a boa formação sempre respeita a liberdade. Já moça e distante daqueles valores por opção, ela quis casar-se. Saiu da vida religiosa, começou a percorrer caminhos numa vida de pecados, entregue à vaidade, à formosura e aos prazeres. Enfim, ia se esvaziando. Até que outra irmã sua veio a se casar. Sua reação não foi de alegria ou de festa, pelo contrário, com inveja e revolta ela resolveu entrar novamente na vida religiosa. 
       A consequência foi muito linda, porque ao entrar nesse segundo tempo, ela voltou como estava: vazia, empurrada por ela própria, pela revolta. Lá dentro, ela foi visitada por sofrimentos. Seu pai, que tanto ela amava e que lhe dava respaldo material, faleceu, foi assassinado. Ela pegou uma enfermidade que a levou à beira da morte. Naquele momento de dor, ela pôde rever a sua vida e perceber o quanto Deus a amava e o quanto ela não correspondia a esse amor. 
       Arrependeu-se, quis confessar-se e o sacerdote foi muito firme, inspirado naquele momento a dizer: “Eu só entro para o sacramento da reconciliação se sair, do quarto dela, tudo aquilo que está marcado pelo luxo e pela vaidade”. Até as suas vestes eram de seda, diferente das outras irmãs. Ela aceitou, pois já estava num processo de conversão. Arrependeu-se, confessou-se e, dentro do convento, começou a converter-se.
       Jacinta Marescotti de tal forma empenhou-se na vida de oração, de pobreza, de castidade e vivência da regra que tornou-se, mais tarde, mestra de noviças e superiora do convento. Deus faz maravilhas na vida de quem se deixa converter pelo Seu amor.

       
Santa Jacinta Marescotti, rogai por nós!



Fonte: http://www.cancaonova.com/portal/canais/liturgia/santo/index.php?mes=1&dia=30&id=365

Reflexão de Dom Odilo


Em artigo, Cardeal Odilo reflete sobre tragédia em Santa Maria-RS


"A tragédia de Santa Maria nos motiva a voltarmos nossa atenção com maior empenho para os jovens"

Cardeal Odilo Pedro Scherer
Arcebispo de São Paulo


Juventude: onde andam os jovens?

Enquanto escrevo este artigo, continuam a chegar notícias e imagens da terrível tragédia ocorrida em Santa Maria (RS), na madrugada desse domingo, 27. Mais de 230 mortos confirmados no incêndio da casa noturna. A maioria, jovens estudantes. Santa Maria é uma cidade universitária, com estudantes de todo o Brasil. Muita consternação.

Sofrimento e tristeza imensas abateram-se, de repente, sobre inúmeras famílias, que punham tantas esperanças nos seus filhos jovens, cheios de vida e de ideais. A dor é compartilhada pelo Brasil inteiro; de todos os lados, chegam mensagens de solidariedade, de autoridades políticas, lideranças comunitárias e pessoas comuns do povo: todos gostariam de se manifestar, de fazer algo, de dizer uma palavra de conforto às mães desesperadas diante dos corpos estendidos no chão do ginásio de esportes, para serem reconhecidos e identificados... À distância, nos colocamos em oração silenciosa, a pedir a Deus o conforto pelos que sofrem e a vida eterna para os que a perderam tão precoce e tragicamente para este mundo.

Vida e morte se encontraram numa circunstância inusitada, enquanto os jovens festejavam e se alegravam... Da diversão ao luto, em poucos minutos! Como é possível que aconteçam tragédias semelhantes? As responsabilidades ainda devem ser apuradas, mas tomam sobre si enormes encargos pela segurança, a integridade física e a vida de outras pessoas, aqueles que mantêm semelhantes locais de agregação de massas humanas, sejam os fins que forem; as medidas emergenciais de segurança estavam todas asseguradas e checadas? Espetáculos com elementos de risco estavam autorizados? Os locais estavam devidamente vistoriados e liberados pelas autoridades competentes? Estavam habilitados e treinados aqueles que deviam zelar pela segurança?

Após a tragédia, passado o silêncio respeitoso pelos mortos e aos muitos feridos e enlutados, resta fazer uma reflexão em vários setores: quanto vale a vida humana? Ela pode ser moeda de troca em função de ganhos e lucros? Cada vida humana é única e preciosa, não podendo ser exposta ao perigo, de maneira leviana; mais ainda, quando se pretendem maiores ganhos, com menores despesas em segurança. Semelhantes tragédias, igualmente em casas noturnas de diversão, têm acontecido em outros países também. Não estaria na hora de haver maior vigilância sobre a segurança de tais locais?

Para o Brasil, o motivo de tristeza ainda é maior, justamente neste ano, quando acontecerá a Jornada Mundial da Juventude, em julho, no Rio de Janeiro. Há poucas semanas, a cruz da Jornada da Juventude peregrinou por Santa Maria, com a acolhida e a participação entusiasta de milhares de jovens. Talvez, muitos dos que perderam a vida no incêndio estiveram também entre eles... E a juventude é tema da Campanha da Fraternidade, que será aberta na próxima Quaresma: “Juventude e Fraternidade”.

A tragédia de Santa Maria nos motiva a voltarmos nossa atenção com maior empenho para os jovens: que não lhes falte a presença, o estímulo e o bom exemplo dos adultos nas escolhas que devem fazer para a vida; que tenham oportunidades para se preparar bem para assumirem seu lugar na sociedade e seu rumo na vida; que não sejam abandonados, de maneira resignada, aos ideólogos do vazio e da desorientação antropológica e moral, ou aos que investem pesado neles para explorar suas energias jovens e sua vontade de viver em função de manobras ideológicas ou ganhos econômicos, conduzindo-os para os becos sem saída da droga, da corrupção moral e social. Que não recebam apenas propostas vazias e nihilistas para suas vidas, mas orientações e indicações sólidas para a construção de seu futuro.

No Brasil, nós temos neste ano uma chance de ouro para nos dirigirmos aos jovens. São eles que terão nas mãos a responsabilidade pela vida social, logo mais, daqui a poucos anos. E da vida da Igreja também. A Campanha da Fraternidade está às portas e a Jornada Mundial da Juventude já está mobilizando muitas energias jovens pelo Brasil todo. Como faremos para envolver a maioria absoluta dos jovens, que ainda não são alcançados pelas nossas propostas pastorais, nem nossas homilias dominicais, mas que se encontram, aos milhões, nas escolas e universidades e nas casas de diversão, sábados à noite?



Fonte: http://noticias.cancaonova.com/noticia.php?id=288528

Momento difícil


Como as famílias de Santa Maria podem lidar com a dor da perda?


"O alento da fé é o referencial que dará suporte para todos aqueles que, 
diante do mistério da morte, são capazes de criar e recriar a vida", 
disse Padre Adílson Ribeiro dos Santos (Arquidiocese do Rio de Janeiro)



       A tragédia em Santa Maria, cidade universitária do Rio Grande do Sul, comoveu o Brasil por provocar mais de 230 vítimas, em sua maioria, jovens. Além disso, o país se entristeceu também por ver o sofrimento e, quem sabe, até sentir a dor das famílias que perderam seus entes queridos.       De acordo o sacerdote e psicólogo, coordenador do Grupo de Psicólogos Católicos da Arquidiocese do Rio de Janeiro, padre Adílson Ribeiro dos Santos, o alento da fé é o referencial que dará suporte para todos aqueles que experimentam o mistério da morte. A fé servirá de apoio para lidar com a perda.
       “Há diversas formas de lidar com as situações de perda. Lidar com ela olhando como uma fatalidade ou como uma abertura de perspectiva dentro do campo da fé, sobretudo da fé cristã. O homem cristão encontra o sentido da sua vida na visão beatífica de Deus, que é a contemplação de Sua face na eternidade”, explicou.
        De fato, todo ser humano passará pela morte, afinal, essa acaba sendo a sua única certeza. Mas, segundo o sacerdote, a dor pode dar sentido à existência humana se for respaldada pela fé e pela solidariedade, manifestação do amor de Deus que demonstra às pessoas que elas não estão sozinhas.
       “O exercício do voluntariado, os profissionais das diversas áreas que se reúnem para dar suporte, os cultos ecumênicos, as Missas que são celebradas em Santa Maria, tudo isso de alguma maneira é o substrato, o chão, para que na dimensão da finitude, o ser humano encontre um amparo e um sentido para a vida”, reforçou.


O sentimento de culpa 
       A culpa é um sentimento que pode fazer parte da vida de algumas pessoas que passam por situações traumáticas como a de Santa Maria. Culpa por ter permitido o filho ou a filha ir à boate, por não terem sido tomadas atitudes preventivas para evitar o acidente e assim por diante. 
       Para o padre Adilson, a culpa é um sentimento que precisa ser trabalhado e que brota da experiência de impotência ante a situação. Todavia, é um sentimento que se perde ao longo do tempo por não ter argumentos que o sustente. 

       “Diante do fato ocorrido sempre se julga que poderia ter sido feito algo e como nós não temos como prever as contingências da vida, hora ou outra o ser humano é surpreendido. Olhando nesta perspectiva, a culpa não teria muita razão de ser. Ela é natural, mas logo se perde porque não encontra argumentação que a sustente. À medida que a pessoa vai sendo acompanha vai entendendo que sentir-se culpada não cabe a ela e isso a livra da culpa”, esclareceu. 


Como ajudar as pessoas na hora do luto?
       Segundo o sacerdote, na hora da dor, a ajuda e presença de todos são importantes. Porém, o fundamental é não deixar a pessoa enlutada sozinha, sentindo-se desamparada. “É preciso respeitar a sua singularidade. Mas, é importante que ela se sinta amparada, protegida, que tem alguém junto com ela, para que possa, diante do vazio, ir aos poucos preenchendo com o carinho recebido. Não há muitas palavras a serem ditas nessas horas, mas só a presença afetiva e efetiva mesmo.”


O desafio do recomeço
        Retomar a vida pode ser a grande luta que a pessoa enlutada irá travar consigo mesma. Por vezes, os sentimentos que vêm são aqueles como o desespero e a solidão. Perguntas como “o que será da minha vida a partir de agora” são comuns aos ouvidos de muitos. É uma dor difícil de ser superada, mas segundo padre Adilson, o tempo vai ajudar a administrar melhor o luto e a perda, visto que esse é um processo próprio da vida humana.
        “No ato da fecundação você ganha a vida, o útero materno. Com o processo de desenvolvimento humano você deixa o útero e ganha a sua infância; você perde a infância e ganha a pré-adolescência; perde a pré-adolescência e ganha a adolescência; perde a adolescência e ganha a juventude; perde a juventude e ganha a vida adulta; perde a vida adulta e ganha a melhor idade; perde a melhor idade e ganha a Deus", explicou o sacerdote sobre o processo natural da vida.
       Portanto, diz o padre, não há nada que a vida não possa se encarregar de, novamente, encontrar um sentido para levá-la adiante. “Estamos apenas de passagem por esse mundo. A vida definitiva está por vir e esses nossos irmãos já foram contemplados por Deus com a Eternidade. O alento da fé é o referencial que com certeza vai dar suporte para todos que diante do mistério da morte são capazes de criar e recriar a vida.”  




Fonte: http://noticias.cancaonova.com/noticia.php?id=288525

RJ: anúncio oficial da CF 2013


Anúncio da Campanha da Fraternidade 2013 no Rio será neste sábado




       Neste sábado, 2, acontecerá o anúncio oficial da Campanha da Fraternidade 2013 no Rio de Janeiro, das 9h às 11h. O evento será na Catedral Metropolitana, com a presença do arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Orani João Tempesta. Este ano, a Campanha tem como tema: "Fraternidade e Juventude", estimulando gestos concretos voltados para a Jornada Mundial da Juventude (JMJ Rio2013). 
       A coordenadora arquidiocesana interina da Campanha da Fraternidade, Carmem Swire, destacou que o anúncio irá enfatizar aspectos práticos da Campanha, que tem início na Quarta-Feira de Cinzas, no próximo dia 13. "Vai ser um evento voltado para aspectos práticos da Campanha, inclusive a coleta da solidariedade. Alguns vicariatos ja fizeram seus eventos de pré-anúncio, outros ainda vão fazer, estamos caminhando para dar inicio à Campanha na quarta-feira de cinzas", informou. 
        Em âmbito nacional, a Campanha será lançada no dia 14 de fevereiro em Nísia Floresta (RN), onde teve início. O tema proposto aponta o apoio à JMJ. Mesmo após o evento, a Campanha irá concentrar os esforços nos frutos que virão, com o decorrer do ano, conforme explicou a Coordenadora Interina.  "Nesse período agora, da Quaresma, quando nós começamos as reflexões da Campanha da Fraternidade, até a realização da Jornada, vamos trabalhar, em articulação com o Setor Juventude e o Comitê Organizador Local (COL), para animar a participação das Paróquias na Jornada, e depois, vamos nos concentrar, no resto do ano, nos frutos, tanto da Jornada quanto da Campanha da Fraternidade, na arquidiocese e na Igreja no Brasil como um todo", disse.
       
Vigário Episcopal para a Caridade Social, Cônego Manuel Manangão, convidou todos para participar do encontro, que vai marcar o anúncio oficial da Campanha da Fraternidade 2013. Segundo ele, é preciso tornar-se uma presença animadora, consoladora e geradora de esperança junto aos jovens e seus familiares. "Não deixemos de participar e de convidar todas as pessoas de boa vontade para este grande encontro de motivação para a Campanha da Fraternidade de 2013", incentivou.
        
Espera-se a adesão maciça de jovens e agentes de pastoral, estimulando gestos concretos, em especial, a coleta da solidariedade, no Domingo de Ramos, o voluntariado e a hospedagem, durante a Jornada Mundial da Juventude (JMJ Rio2013).  "O gesto concreto é a coleta da solidariedade no Domingo de Ramos, que vai ser destinado à Jornada, e um outro gesto concreto, que deve resultar das reflexões, é a adesão ao voluntariado da Jornada, e a oferta de vagas de hospedagem. Nós vamos refletir sobre isso e esperamos que traga resultados", apostou Carmem Swire. 



Fonte: http://noticias.cancaonova.com/noticia.php?id=288527

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Somos da família de Jesus

Liturgia diária



Terça-feira, 29 de janeiro de 2013
3ª Semana do Tempo Comum
Cor Verde


> Primeira leitura: Hebreus 10, 1-10
> Responsório: Salmos 39
> Evangelho: Marcos 3, 31-35



— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Marcos.
— Glória a vós, Senhor.



       Naquele tempo, 31chegaram a mãe de Jesus e seus irmãos. Eles ficaram do lado de fora e mandaram chamá-lo. 32Havia uma multidão sentada ao redor dele. Então lhe disseram: “Tua mãe e teus irmãos estão lá fora à tua procura”.
       33Ele respondeu: “Quem é minha mãe, e quem são meus irmãos?” 34E olhando para os que estavam sentados ao seu redor, disse: “Aqui estão minha mãe e meus irmãos.35Quem faz a vontade de Deus, esse é meu irmão, minha irmã e minha mãe”. 


- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Dar a herança em troca de "escravos"

Santo do dia:

São Pedro Nolasco




       No século XII, uma família francesa teve a graça de ter como filho o pequeno Pedro Nolasco que, desde jovem, já dava sinais de sensibilidade com o sofrimento alheio. Foi crescendo, formando-se, entrou em seus estudos humanísticos e, ao término deles, numa vida de oração, penitência e caridade ativa, São Pedro Nolasco sempre buscou viver aquilo que está na Palavra de Deus.
        Desde pequeno, um homem centrado no essencial, na pessoa de Nosso Senhor Jesus Cristo; um homem devoto da Santíssima Virgem. 
       No período de São Pedro Nolasco, muitos cristãos eram presos, feitos escravos por povos não-cristãos. Eles não só viviam uma outra religião – ou religião nenhuma –, como atrapalhavam os cristãos. 
       São Pedro Nolasco, tendo terminado os estudos humanísticos e ficando órfão, herdou uma grande herança. Ao ir para a Espanha, deparou-se com aquele sofrimento moral e também físico de muitos cristãos que foram presos e feitos escravos. Então, deu toda a sua herança para o resgate de 300 deles. Mais do que um ato de caridade, ali já estava nascendo uma nova ordem; um carisma estava surgindo para corresponder àquela necessidade da Igreja e dos cristãos. Mais tarde, fez o voto de castidade, de pobreza e obediência; foi quando nasceu a ordem dedicada à Santíssima Virgem das Mercês para resgatar os escravos, ir ao encontro daqueles filhos de Deus que estavam sofrendo incompreensões e perseguições.
       Em 1256, ele partiu para a glória sabendo que ele, seus filhos espirituais e sua ordem – que foi abençoada pela Igreja e reconhecida pelo rei – já tinham resgatado muitos cristãos da escravidão. 
       Peçamos a intercessão deste santo para que estejamos atentos à vontade de Deus e ao que Ele quer fazer através de nós.

       
São Pedro Nolasco, rogai por nós!



Fonte: http://www.cancaonova.com/portal/canais/liturgia/santo/index.php?mes=1&dia=29&id=364

Calendário do Papa em Roma


Confira as celebrações presididas pelo Papa em fevereiro e março


Vista aérea do Vaticano


       A sala de imprensa da Santa Sé divulgou nesta terça-feira, 29, o calendário de celebrações que serão presididas pelo Papa Bento XVI em fevereiro e março deste ano. Confira a seguir as datas e horários, que se ferem ao horário local (em Roma): 

Fevereiro
Sábado, 2
Festa da Apresentação do Senhor
17º Dia Mundial da Vida Consagrada
Basílica Vaticana, às 17h30
Santa Missa com os membros dos Institutos de vida consagrada e das Sociedades de vida apostólica

Segunda-feira, 11
Sala do Consistório, 11h
Consistório para algumas Causas de Canonização

Quarta-feira, 13
Quarta-Feira de Cinzas
Basílica de Santo Anselmo, 16h30
Procissão penitencial

Basílica de Santa Sabina, 17h
Santa Missa, benção e imposição das Cinzas

Domingo, 17
1º Domingo da Quaresma
Palácio Apostólico
Capela Redemptoris Mater, 18h
Início dos exercícios espirituais para a Cúria Romana

Sábado, 23
Capela Redemptoris Mater, 9h
Conclusão dos exercícios espirituais para a Cúria Romana


Março
Domingo, 24
Domingo de Ramos e da Paixão do Senhor
Praça São Pedro, 9h30
Capela Papal
Benção dos Ramos, Procissão e Santa Missa

Quinta-feira, 28
Quinta-Feira Santa
Basílica Vaticana, 9h30
Santa Missa do Crisma

Basílica de São João de Latrão, 17h30
Capela Papal
Início do Tríduo Pascal
Santa Missa da Ceia do Senhor

Sexta-feira, 29
Sexta-Feira Santa
Basílica Vaticana, 17h
Capela Papal
Celebração da Paixão do Senhor

Coliseu, 21h15
Via Sacra

Sábado, 30
Sábado Santo
Basílica Vaticana, 20h30
Capela Papal
Vigília Pascal na Noite Santa

Domingo, 31
Domingo de Páscoa
Praça São Pedro, 10h15
Capela Papal
Santa Missa do dia

Balcão central da Basílica Vaticana, 12h
Benção "Urbi et Orbi"



Fonte: http://noticias.cancaonova.com/noticia.php?id=288516

Oração para o povo de Moçambique


Enchentes em Moçambique deixam 68 mortos e 150 mil desalojados


Bandeira de Moçambique


        Subiu para 68 o número de mortos nas enchentes em Moçambique, mas há muitas pessoas desaparecidas, segundo o balanço feito nessa segunda-feira, 28, pelo Instituto Nacional de Gestão de Calamidades. O número inclui o total de vítimas desde o início das chuvas, em outubro.
        A porta-voz do instituto, Rita Almeida, confirmou uma “ligeira tendência de redução” do nível das águas nas bacias hidrográficas e um abaixamento das águas do rio Limpopo. Mas, disse à AFP, pode haver novas inundações na bacia do Zambeze. “A previsão é de mais chuva na província da Zambézia e no Norte de Sofala.”
        Rita Almeida quantificou em 112 mil o número de desalojados, mas a porta-voz das Nações Unidas em Maputo, Patricia Nakell, divulgou também, nesta segunda-feira, números mais elevados: 150 mil, só na província de Gaza.
        As Nações Unidas divulgaram na sexta-feira uma estimativa de 15 milhões de dólares (mais de 11,13 milhões de euros ao câmbio atual) para financiar as operações humanitárias, mas o valor deve revelar-se pequeno, pois quando divulgado o número de desalojados estava quantificado em cerca de 70 mil.
        “Em coordenação com o Governo de Moçambique lançaremos em breve um apelo aos nossos parceiros para disponibilizarem fundos adicionais para ajudar a lidar com esta emergência”, disse Jennifer Topping, coordenadora humanitária para Moçambique. A forma como o Governo tem lidado com as cheias tem sido criticada, quer pela oposição quer por vozes independentes.



Fonte: http://noticias.cancaonova.com/noticia.php?id=288518

Bento XVI consola as famílias


Bento XVI consola famílias das vítimas de tragédia em Santa Maria




       A Secretaria de Estado do Vaticano divulgou na manhã desta segunda, 28, o telegrama enviado pelo Papa Bento XVI ao Arcebispo de Santa Maria, Dom Hélio Adelar Rubert, expressando seu pesar pela tragédia ocorrida na madrugada desse domingo em uma boate, que ocasionou a morte de 233 jovens e a internação de dezenas em estado grave. 

Leia o telegrama na íntegra: 


Exmo Revmo Dom Hélio Adelar Rubert
Arcebispo de Santa Maria

Consternado pela trágica morte de centenas de jovens em um incêndio em Santa Maria, o Sumo Pontíficie pede a Vossa Excelência que transmita às famílias das vítimas suas condolências e sua participação na dor de todos os enlutados. Ao mesmo tempo em que confia a Deus Pai de misericórdia os falecidos, o Santo padre pede ao céu o conforto e restabelecimento para os feridos, coragem e a consolação da esperança cristã para todos atingidos pela tragédia e envia, a quantos estão em sofrimento e ao mesmo procuram remediá-lo, uma propiciadora bênção apostólica.
Cardeal Tarcísio Bertone
Secretário de Estado de Sua Santidade.



Fonte: http://noticias.cancaonova.com/noticia.php?id=288505

Dom Hélio fala sore tragédia


Arcebispo de Santa Maria fala sobre tragédia no sul do país

"Agora é o momento de oração, de reflexão, de olhar para frente com esperança", afirma Dom Hélio



       "Agora não é o momento de nós condenarmos, julgarmos, mas é o momento de oração, de reflexão, de olhar para frente com esperança e também aprendermos muitas lições desse fato que aconteceu". Foi o que afirmou o Arcebispo metropolitano da Arquidiocese de Santa Maria, Rio Grande do Sul, Dom Hélio Adelar Rubert, à equipe de jornalismo da Canção Nova.
       Na entrevista, o arcebispo manifestou suas condolências pela tragédia ocorrida na madrugada desse domingo, 27, numa casa noturna, em Santa Maria, causando a morte de mais de 230 jovens:
       "Ontem, em Santa Maria, havia verdadeiramente um clima de guerra, porque foi muito grande a consternação, a movimentação e a agitação em todos os lugares da cidade. Mas hoje está um pouco mais calmo e nós queremos dizer ao nosso povo que tenha calma e também muita esperança. Nós sabemos que a nossa pátria definitiva não é esta terra, nós aqui estamos caminhando unidos procurando viver a paz, o amor e o bem querer entre nós, sempre com um olhar voltado para o Céu que nos aguarda, a nossa pátria definitiva". 
       O arcebispo destaca que essa fatalidade comoveu profundamente a todos, especialmente as famílias, os amigos e as pessoas relacionadas com tantos jovens que, na flor da mocidade, foram colhidos para a outra vida. 
       Desde a manhã de ontem, Dom Hélio presta assistência aos familiares das vítimas e, durante todo o dia, está presidindo Missas pelas almas dos jovens falecidos. 
       A tragédia já é conhecida em boa parte do mundo e, segundo Dom Hélio, provoca uma reflexão, neste ano em que a Igreja vive o Ano da Juventude, sobre a maneira em que a Comunidade Eclesial tem trabalhado com os jovens nas famílias, nas escolas e na sociedade.
"Quanto nós precisamos ajudar nossos jovens a buscar realmente os valores consistentes e que constroem a pessoa humana em sua integralidade", afirmou o Arcebispo.
       Diante do imenso sofrimento que toma conta da cidade, Dom Hélio dá uma mensagem de esperança: "O Senhor Jesus é a resposta para todos os nossos anseios. Ele nos abre essa perspectiva para a eternidade, para uma vida feliz em Deus, para quem O coloca como tudo em sua vida e procura os valores do Evangelho". 
       O Arcebispo disse ainda que todas as igrejas da arquidiocese estão à disposição para os velórios e os momentos de oração e de fé.



Fonte: http://noticias.cancaonova.com/noticia.php?id=288510 (adaptado)

Oração na Praça da Catedral


Oração em solidariedade às vítimas de Santa Maria




       Nesta terça-feira (29), em Maringá, será realizado um momento de oração em solidariedade às famílias dos jovens e trabalhadores vítimas do incêndio ocorrido na madrugada do último domingo, em Santa Maria - RS. A celebração, de caráter ecumênico, terá início às 20h na Praça da Catedral. Pede-se para levar vela. A atividade é organizada pela Pastoral da Juventude com apoio do Setor Juventude.


Fonte: http://sjdemaringa.blogspot.com.br/2013/01/oracao-em-solidariedade-as-vitimas-de.html

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

LUTO

COMUNICADO



       AVISAMOS AOS NOSSOS QUERIDOS JOVENS QUE ACOMPANHAM O BLOG JOVEM EM AÇÃO QUE, JUNTAMENTE COM TODO O PAÍS EM ATO DE SOLIDARIEDADE, ESTAMOS DE LUTO PELAS VÍTIMAS DO INCÊNDIO DE BOATE EM SANTA MARIA-RS.

       REZEMOS PELAS FAMÍLIAS E AMIGOS DAS VÍTIMAS, PARA QUEM DEUS CONFORTE O CORAÇÃO NESTE MOMENTO DE MUITA DOR E SOFRIMENTO. REZEMOS TAMBÉM PELAS ALMAS, PARA QUE ENCONTREM REPOUSO NOS BRAÇOS DE DEUS.

Pecado contra o Espírito

Liturgia diária



Segunda-feira, 28 de janeiro de 2013
3ª Semana do Tempo Comum
Memória de Santo Tomás de Aquino
Cor Branca


> Primeira leitura: Hb 9, 15.24-28
> Responsório: Sl 97
> Evangelho: Mc 3, 22-30



— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Marcos.
— Glória a vós, Senhor.



       Naquele tempo, 22os mestres da Lei, que tinham vindo de Jerusalém, diziam que ele estava possuído por Beelzebul, e que pelo príncipe dos demônios ele expulsava os demônios. 
       23Então Jesus os chamou e falou-lhes em parábolas: “Como é que Satanás pode expulsar a Satanás? 24Se um reino se divide contra si mesmo ele não poderá manter-se.25Se uma família se divide contra si mesma, não poderá manter-se. 26Assim, se Satanás se levanta contra si mesmo e se divide, não poderá sobreviver, mas será destruído.27Ninguém pode entrar na casa de um homem forte para roubar seus bens, sem antes o amarrar. Só depois poderá saquear sua casa. 
       28Em verdade vos digo: tudo será perdoado aos homens, tanto os pecados, como qualquer blasfêmia que tiverem dito. 29Mas quem blasfemar contra o Espírito Santo, nunca será perdoado, mas será culpado de um pecado eterno”. 30Jesus falou isso, porque diziam: “Ele está possuído por um espírito mau”. 


- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

"Quem é Deus?"

Santo do dia:

Santo Tomás de Aquino




       Neste dia lembramos uma das maiores figuras da teologia católica: Santo Tomás de Aquino. Conta-se que, quando criança, com cinco anos, Tomás, ao ouvir os monges cantando louvores a Deus, cheio de admiração perguntou: "Quem é Deus?"
       A vida de santidade de Santo Tomás foi caracterizada pelo esforço em responder, inspiradamente para si, para os gentios e a todos sobre os Mistérios de Deus. Nasceu em 1225 numa nobre família, a qual lhe proporcionou ótima formação, porém, visando a honra e a riqueza do inteligente jovem, e não a Ordem Dominicana, que pobre e mendicante atraia o coração de Aquino. 
       Diante da oposição familiar, principalmente da mãe condessa, Tomás chegou a viajar às escondidas para Roma com dezenove anos, para um mosteiro dominicano. No entanto, ao ser enviado a Paris, foi preso pelos irmãos servidores do Império. Levado ao lar paterno, ficou, ordenado pela mãe, um tempo detido. Tudo isto com a finalidade de fazê-lo desistir da vocação, mas nada adiantou. 
       Livre e obediente à voz do Senhor, prosseguiu nos estudos sendo discípulo do mestre Alberto Magno. A vida de Santo Tomás de Aquino foi tomada por uma forte espiritualidade eucarística, na arte de pesquisar, elaborar, aprender e ensinar pela Filosofia e Teologia os Mistérios do Amor de Deus. 
       Pregador oficial, professor e consultor da Ordem, Santo Tomás escreveu, dentre tantas obras, a Suma Teológica e a Suma contra os gentios. Chamado "Doutor Angélico", Tomás faleceu em 1274, deixando para a Igreja o testemunho e, praticamente, a síntese do pensamento católico.

       
Santo Tomás de Aquino, rogai por nós!



Fonte: http://www.cancaonova.com/portal/canais/liturgia/santo/index.php?mes=1&dia=28&id=363

Nota da CNBB pelas vítimas do incêndio


CNBB expressa pesar pelas vítimas de incêndio em Santa Maria-RS




       Em nota divulgada na manhã desse domingo, 27, o presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Cardeal Raymundo Damasceno Assis, se une ao arcebispo de Santa Maria (RS), Dom Hélio Adelar Rupert, para manifestar solidariedade às famílias das vítimas de um incêndio em uma casa noturna da cidade.
        “Como Igreja de Santa Maria lastimamos este acidente e manifestamos a nossa solidariedade às famílias e a toda a sociedade. Não se perca a esperança: olhemos para Jesus Cristo, fonte da vida, o nosso Salvador. Oramos pelos falecidos e seus familiares e toda a sociedade que sofre esta tragédia”, afirmou Dom Hélio.
       O incêndio ocorreu durante a madrugada desse domingo, 27. Até a manhã desta segunda-feira, 28, foi confirmada a morte de pelo menos 233 pessoas, de acordo com o Corpo de Bombeiros. O número total ainda é incerto. Há centenas de feridos sendo atendidos em hospitais da cidade, e uma campanha pede doações de sangue. Entre as vítimas estão muitos estudantes da Universidade Federal de Santa Maria.



Fonte: http://noticias.cancaonova.com/noticia.php?id=288502